2 eventos ao vivo

Minério de ferro tem maior alta semanal em 5 meses na China por temor com oferta

14 fev 2020
08h55
atualizado às 09h07
  • separator
  • 0
  • comentários

Os contratos futuros de minério de ferro negociados na China encerraram a sessão em alta nesta sexta-feira e tiveram o maior ganho semanal desde setembro, em meio a renovadas preocupações com a oferta e apesar das interrupções da demanda devido ao surto de coronavírus.

Minério de ferro de mina localizada na região de Pilbara, na Austrália Ocidental
02/12/2013
REUTERS/David Gray
Minério de ferro de mina localizada na região de Pilbara, na Austrália Ocidental 02/12/2013 REUTERS/David Gray
Foto: Reuters

O minério de ferro da Bolsa de Mercadorias Dalian subiu 1%, para 628,50 iuanes (90,01 dólares) por tonelada, avançando pelo quarto dia consecutivo, e subiu 6,4% em relação à semana passada.

Apesar da fraca demanda pela matéria-prima siderúrgica no maior produtor de aço, os preços spot ficaram firmes nesta sexta-feira, em uma máxima de três semanas, a 88,50 dólares por tonelada, mostraram os dados da consultoria SteelHome.

Traders nos portos chineses relutaram em vender minério de ferro a preços considerados baixos, informou a fornecedora de dados MySteel, depois que a mineradora brasileira Vale reduziu na terça-feira sua perspectiva de produção no primeiro trimestre.

A Vale revisou para baixo sua previsão de produção de minério de ferro para o primeiro trimestre, para 63-68 milhões de toneladas, em meio a chuvas fortes afetando as operações e limitações para disposição de rejeitos na barragem Laranjeiras, do complexo Brucutu, maior mina da empresa em Minas Gerais.

Os comerciantes também estavam esperançosos de mais suporte à economia, já que o surto de coronavírus não mostrou sinais de pico, com mais de 5.000 novos casos adicionados à contagem na sexta-feira.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade