PUBLICIDADE

Minério de ferro atinge mínima do ano em Cingapura com Covid na China e temor de recessão

6 jul 2022 - 08h20
Ver comentários
Publicidade

O preço do minério de ferro caiu nesta quarta-feira para seu nível mais baixo neste ano em Cingapura, uma vez que a China enfrenta novos surtos de Covid-19 em várias áreas, incluindo Xangai, o que alimenta preocupações com novos lockdowns na maior produtora de aço do mundo.

Terminal de minério de ferro no porto de Dalian, China 
21/09/2018
REUTERS/Muyu Xu
Terminal de minério de ferro no porto de Dalian, China 21/09/2018 REUTERS/Muyu Xu
Foto: Reuters

As perspectivas crescentes de uma recessão global também pesaram na maioria dos mercados de commodities, aumentando as preocupações sobre uma demanda já fraca na China, principal consumidora de metais e importadora de minério de ferro.

O contrato de minério de ferro para o próximo mês na Bolsa de Cingapura chegou a recuar 5,4%, para 106,45 dólares a tonelada. A queda era de 1,3%, a 111 dólares, por volta de 05h17 (horário de Brasília).

Na bolsa chinesa de Dalian, no entanto, o contrato mais negociado do ingrediente siderúrgico, para o mês de setembro, fechou as negociações com alta de 1,8%, a 747 iuanes (111,42 dólares) a tonelada, depois de oscilar descontroladamente entre perdas e ganhos ao longo da sessão.

Xangai, a cidade mais populosa da China, suspendeu um lockdown de dois meses, mas o governo continua a impor restrições direcionadas aos movimentos sempre que casos são detectados. Todos os residentes em nove dos 16 distritos do centro financeiro seriam testados duas vezes nesta semana após outro surto.

"Mas mesmo que haja mais lockdowns, esperamos que sejam muito mais localizados do que os de março a maio, pois o governo está tentando equilibrar o controle da Covid e o crescimento da economia", disseram economistas do ING.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade