PUBLICIDADE

Mansueto: Precisamos dar mínimo de segurança ao investidor de que País fará ajuste fiscal

25 out 2021 21h08
ver comentários
Publicidade

O economista-chefe do BTG, Mansueto Almeida, disse nesta segunda-feira, 25, que o governo brasileiro - mesmo no caso de uma mudança no próximo ano - precisa dar ao investidor uma segurança de que fará o ajuste fiscal necessário. Segundo ele, apesar de o teto de gastos ter garantido a inédita situação de um ciclo de quatro anos de governo sem aumento real da despesa em relação ao mandato anterior, as contas ainda estão no vermelho.

"O déficit (primário) neste ano será de 1% do PIB, ainda temos caminho para fazer. O que importa para o investidor não é um superávit em 1 ou 2 anos, mas enxergar que em um período razoável o país terá superávit para colocar a dívida na trajetória de queda", disse, durante o evento Money Week.

Em meio à polêmica tentativa de mudança do cálculo do teto de gastos pelo governo, Mansueto, que foi secretário do Tesouro de Paulo Guedes, ressaltou que o teto foi a única forma encontrada pelo governo de realizar um ajuste sem aumento de carga tributária e só deve ser modificado por um dispositivo melhor. "Se há crítica ao teto, pode-se discutir mudança, que seja para colocar algo melhor no lugar. Precisamos concordar de que precisamos de esforço fiscal para voltar a ter resultado superavitário", disse.

Estadão
Publicidade
Publicidade