0

Juro: DIs caem com visão de crescimento econômico menor

4 nov 2011
16h36

<br/>As taxas de DI recuaram nesta sexta-feira, com investidores avaliando o impacto da turbulência internacional no cenário doméstico e reforçando expectativas de mais cortes na taxa básica de juros (Selic). Às 16h34, o DI para janeiro de 2013 indicava 10,230% ao ano, ante 10,270% no ajuste anterior. Janeiro de 2014 apontava 10,480%, ante 10,540% no último ajuste.<br /><br /><br />"O mercado está achando que os números do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre vão vir bem mais fracos. A forte queda da produção industrial (de setembro) foi um sinal disso", disse o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito.<br /><br /><br />De acordo com Perfeito, essa avaliação reforça apostas de que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) vai cortar a Selic em mais 0,5 ponto porcentual no final deste mês, podendo inclusive estender o ciclo de afrouxamento monetário até março.<br /><br /><br />No momento, a curva futura de juros projeta duas quedas de 0,5 ponto sobre a taxa básica em cada uma das próximas duas reuniões do Copom (novembro e janeiro de 2012) e mais 0,25 ponto em março. Recentes indicadores econômicos mais fracos têm levado alguns economistas a preverem uma moderação na atividade econômica no terceiro trimestre, decorrente sobretudo da escalada das preocupações com a crise de dívida na zona do euro e com a recuperação dos Estados Unidos.<br /><br /><br />A produção industrial foi o último deles. A atividade nas fábricas brasileiras recuou 2% em setembro ante agosto e contraiu-se 1,6% sobre igual mês de 2010, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última terça-feira. Analistas consultados pela <I>Reuters</I> projetavam queda mês a mês de 1,3% e recuo anual de 1%. <br /><br /><br />"A crise internacional parece ter atingido negativamente as decisões de investimento da economia brasileira. O modesto crescimento do PIB no terceiro trimestre (que na nossa projeção será de +0,2% sobre o segundo trimestre, com ajuste sazonal) possivelmente refletirá essa freada no investimento", afirmou em relatório a equipe de economistas da MCM Consultores Associados.<br /><br /><br />O IBGE reportará os dados oficiais do PIB do terceiro trimestre em 6 de dezembro. Na próxima semana, o destaque da pauta será a leitura de outubro do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com divulgação prevista para sexta-feira. O IPCA é a medida oficial de inflação do governo, e expectativa do Banco Fator é de que a inflação medida pelo índice tenha desacelerado a 0,40% no mês passado.<br /><br /><br />A agenda também inclui as vendas no varejo brasileiro relativas a setembro, com divulgação prevista para quinta-feira.<br />

Fonte: Invertia Invertia
publicidade