0

Joice cria 'gabinete de inteligência' para tirar dúvidas

Líder do governo disse que haverá sempre um técnico do Ministério da Economia à disposição dos parlamentares em sua sala na Câmara

2 mai 2019
14h14
atualizado às 16h22
  • separator
  • 0
  • comentários

A líder do governo no Congresso, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), vai criar um "gabinete de inteligência" para tirar dúvidas de parlamentares sobre a reforma da Previdência. Segundo ela, a ideia foi gestada com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, e o gabiente vai funcionar na sala da deputada na Câmara.

De acordo com a líder, a ideia é manter sempre um técnico do Ministério da Economia à disposição dos parlamentares. Serão três ou quatro especialistas que vão se revezar na função, disse, sempre com dados disponíveis, inclusive regionalizados.

Dep. Joice Hasselmann (PSL - SP) concede entrevista
Dep. Joice Hasselmann (PSL - SP) concede entrevista
Foto: Cleia Viana / Agência Câmara

Ela explicou que não será preciso marcar horário. O deputado que quiser, basta chegar e entrar para conversar com o técnico. O serviço deve começar a funcionar na próxima terça-feira, 7.

Segundo a parlamentar, o gabinete também vai produzir conteúdo sobre a reforma para que deputados e senadores usem em suas redes sociais.

Avanço na articulação

Joice se reuniu nesta quinta com Marinho em seu gabinete para tratar da articulação e de alguns pontos da reforma da Previdência. Há uma pressão por parte de líderes para a retirada dos Estados e municípios da reforma, mas o governo quer manter. "Tudo está caminhando com mais tranquilidade do que em um passado recente", disse ela sobre a articulação.

Para Joice, houve avanços significativos na articulação entre Executivo e Legislativo nas últimas semanas. Ele acredita que haverá tempo hábil para se aprovar uma reforma robusta ainda no primeiro semestre na Câmara, "com o tamanho que precisamos". Segundo ela, agora as conversas são para manter uma economia robusta com a reforma, "sem lipoaspiração".

Ela voltou a afirmar que as alterações no Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos de baixa renda, e na aposentadoria rural na Comissão Especial já são dadas como certas, mas que as mudanças no texto devem parar por aí. "Agora deu, se abrir muita concessão não resolvemos o problema", afirmou.

Marinho reforçou o discurso de Joice e afirmou que o importante agora não é mais se a reforma será aprovada, o que para ele já é certo, e sim qual será o tamanho da economia. O secretário disse que a equipe econômica está sendo demandada para ter um relacionamento mais estreito com o Parlamento e que ele achou "de bom tom e pertinente" a criação do "gabinete de inteligência".

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade