0

Itália entra em acordo com UE sobre orçamento, diz ministério

18 dez 2018
19h52
  • separator
  • comentários

A Itália fez um acordo com a Comissão Europeia para o orçamento de 2019, disse nesta terça-feira uma porta-voz do Ministério da Economia, sinalizando um fim para semanas de disputa que balançaram os mercados financeiros.

Contudo, uma fonte no gabinete do primeiro-ministro Giuseppe Conte pediu cautela, dizendo que Roma havia somente recebido garantias verbais de Bruxelas. Ele acrescentou que um acordo não deveria ser formalizado até a reunião da comissão da União Europeia na quarta-feira.

"Há uma expectativa razoável de que a proposta de orçamento seja levada para o exame da comissão amanhã, e isso será positivo para a Itália", afirmou a fonte. "Mas é necessário esperar o procedimento ser finalizado para considerar a negociação definitivamente concluída."

Um porta-voz da comissão confirmou que o orçamento italiano seria discutido na quarta, mas não quis entrar em detalhes. O Ministério da Economia também não deu mais informações.

Conte, que comandou as negociações com Bruxelas, falará ao Parlamento ao meio-dia desta quarta, disse o seu gabinete.

Os líderes do governo italiano apresentaram inicialmente um orçamento para a terceira maior economia da zona do euro que previa um déficit equivalente a 2,4 por cento do produto interno bruto em 2019, acima do 1,8 por cento deste ano.

Eles disseram que a Itália precisa de medidas expansionistas para elevar o lento crescimento econômico. A comissão rejeitou o projeto, dizendo que ele não reduziria a dívida italiana e declarando que ele quebrava as regras do bloco.

Depois de inicialmente se recusar a abrir mão e lançar ataques verbais contra integrantes da comissão, o governo italiano finalmente cedeu na semana passada e submeteu um plano revisado, incluindo uma meta de déficit de 2,04 por cento.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade