0

INTL FCStone eleva previsão de moagem de cana e de produção de etanol

6 ago 2019
16h28
  • separator
  • 0
  • comentários

Ribeirão Preto, 6 - A INTL FCStone elevou nesta terça-feira, 6, a previsão do processamento de cana-de-açúcar nas usinas e destilarias do Centro-Sul do Brasil na safra 2019/2020. A consultoria prevê moagem de 583,3 milhões de toneladas, alta de 1,6% sobre o total de 574,2 milhões de toneladas estimado no levantamento anterior, em maio. A previsão representa alta de 1,8% ante os 573,1 milhões de toneladas de cana processadas na safra 2018/2019.

Segundo o relatório dos analistas João Paulo Botelho e Matheus Costa, cuja equipe percorreu a região durante o mês de julho, "ficou claro que as lavouras devem apresentar maior rendimento agrícola em 2019/2020. Apesar do veranico e da ocorrência de geadas, a maior umidade observada desde meados de 2018 se mostrou bastante benéfica aos canaviais", informaram.

Segundo os analistas, a oferta de Açúcar Total Recuperável por tonelada (ATR/t) de cana processada deve cair 1,8% entre as safras, de 137,9 quilos por tonelada de 2018/2019, para 135,4 kg/t estimados em 2019/2020 e 136,9 kg/t previstos no levantamento anterior.

De acordo com Costa e Botelho, durante as visitas, as usinas indicaram que estão direcionando o máximo de cana à produção de etanol, uma vez que os preços do biocombustível se mostram mais favoráveis ante os valores oferecidos para o açúcar. Com isso, a INTL FCStone elevou, mais uma vez, o mix de destino cana para a produção de biocombustível. Essa fatia saiu de 62,9% para 65,3% em 2019/2020 entre as estimativas de maio de hoje, e ficou acima dos 64,8% de mix de 2018/2019.

A produção de etanol de cana deve ser de 30,4 bilhões de litros, alta de 1,3 bilhão de litros ante a estimativa de maio, de 29,1 bilhões de litros e 200 milhões de litros, ou 0,7%, maior que os 30,2 bilhões de litros da safra 2018/2019. A produção de etanol hidratado de cana deve ficar praticamente estável, em 21,3 bilhões de litros, e o volume de anidro de cana deve avançar 1,5%, para 9 bilhões de litros entre as duas safras no Centro-Sul.

A produção de etanol de milho foi elevada de 1 bilhão para 1,1 bilhão de litros, alta de 42,9% sobre os 800 milhões de litros de 2018/2029. A oferta total de etanol deve sair de 31 bilhões para 31,3 bilhões de litros.

A consultoria reduziu a previsão do mix de destino da cana para a produção do adoçante de 37,1% para 34,7% em 2019/2020, ante 35,2% em 2018/2019. Com um pouco menos de cana destinada ao açúcar entre as safras, a produção no Centro-Sul deve ficar em 26,1 milhões de toneladas queda de 1,5%, sobre os 26,5 milhões de toneladas de 2018/2019, e 1,7 milhão de toneladas inferior à estimativa de maio, de 27,8 milhões de toneladas para 2019/2020.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade