2 eventos ao vivo

Índices europeus tentam se recuperar após vendas generalizadas globais

7 dez 2018
08h16
  • separator
  • comentários

Os índices europeus recuperavam as perdas sofridas durante as vendas generalizadas globais registradas na sessão anterior, mas não conseguia muito impulso após sessões fracas em Wall Street e na Ásia.

Por volta de 8:12 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 subia 1,41 por cento, a 1.373 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhava 1,43 por cento, a 348 pontos, depois de ter caído 3,2 por cento durante a queda acentuada do pregão da quinta-feira, provocada por temores de que a disputa entre os Estados Unidos e a China possa piorar para uma guerra comercial em larga escala.

Os futuros do índice norte-americano S&P 500 operavam com queda após o fechamento da sessão anterior em território negativo, mas bem acima da mínima da sessão.

Os operadores estavam focados nos dados de emprego dos Estados Unidos que serão divulgados mais tarde nesta sexta-feira, e se isso pode trazer sinais sobre a saúde da economia e o sobre o ritmo em que o Federal Reserve aumentará a taxa de juros.

O grupo de saúde alemão Fresenius registrava as maiores perdas, com queda de 10,5 por cento e caminhando para seu pior dia desde 2002.

As ações da Associated British Foods recuavam 2,5 por cento depois de a empresa relatar que o comércio em sua empresa de moda Primark foi desafiador em novembro.

. Em LONDRES, o índice Financial Times avançava 1,55 por cento, a 6.807 pontos.

. Em FRANKFURT, o índice DAX caía 0,99 por cento, a 10.917 pontos.

. Em PARIS, o índice CAC-40 ganhava 1,49 por cento, a 4.851 pontos.

. Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha valorização de 1,10 por cento, a 18.848 pontos.

. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava alta de 1,22 por cento, a 8.871 pontos.

. Em LISBOA, o índice PSI20 valorizava-se 0,88 por cento, a 4.859 pontos.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade