1 evento ao vivo

Importações de soja da China em dezembro saltam 67% na comparação anual

14 jan 2020
08h35
atualizado às 10h26
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

As importações de soja da China em dezembro saltaram 67% na comparação anual, para máxima em 19 meses, mostraram dados oficiais nesta terça-feira, à medida que uma série de cargas dos Estados Unidos e do Brasil agendadas anteriormente foram liberadas na alfândega.

Funcionário separa grãos de soja em supermercado de Wuhan, na China
14/04/2014
REUTERS/Stringer
Funcionário separa grãos de soja em supermercado de Wuhan, na China 14/04/2014 REUTERS/Stringer
Foto: Reuters

A China, principal mercado global para a soja, importou 9,54 milhões de toneladas da oleaginosa em dezembro, ante 5,72 milhões de toneladas no mesmo mês do ano anterior, segundo dados da Administração Geral de Alfândegas.

Os embarques tiveram alta de 15% frente às 8,28 milhões de toneladas em novembro.

"Os números foram bem elevados, uma vez que cargas atrasadas foram liberadas na alfândega, incluindo embarques dos EUA", disse a analista da consultoria Shanghai JC Intelligente Co, Monica Tu.

"Compradores chineses também agendaram compras de muitos grãos da América do Sul, que chegaram em massa", afirmou.

No ano de 2019, as importações de soja somaram 88,51 milhões de toneladas, pouco acima das 88,03 milhões de toneladas de 2018, quando tarifas mais altas impactaram os embarques dos Estados Unidos.

Compradores chineses agendaram cargas dos EUA em diversas ocasiões após terem recebido isenções temporárias de tarifas nos últimos meses, em meio a um alívio nas tensões comerciais entre EUA e China.

Importadores também elevaram compras do Brasil devido aos bons preços e às incertezas comerciais.

Veja também:

BC corta Selic para 3% ao ano
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade