2 eventos ao vivo

Ibovespa inicia pregão com altas e baixas em dia de exterior negativo

17 jan 2019
11h02
  • separator
  • comentários

O Ibovespa alternou leves altas e baixas no início do pregão desta quinta-feira, 17. Na mínima, perdeu pontualmente o nível dos 94 mil pontos e foi a 93.987 pontos (0,43%). O exterior negativo contribui para uma realização de lucros, uma possibilidade real diante do avanço de mais de 7% do índice acionário no acumulado do ano.

Segundo um operador, faltam "gatilhos" tanto para a valorização das ações brasileiras ter continuidade quanto para o investidor começar a embolsar os altos retornos desse início de ano. Segundo analistas gráficos, contudo, a tendência para o indicador continua sendo de alta. "Até agora, a valorização aconteceu por conta das perspectivas positivas. Para a Bolsa continuar subindo, o que precisa é alguma medida econômica concreta", afirmou um operador.

A falta de certezas sobre a reforma da Previdência, por exemplo, atinge o mercado de moedas, segundo agentes do câmbio. Espera-se que o governo Bolsonaro conclua a formulação da sua proposta neste fim de semana. Por ora, o que o mercado enxerga é uma série de "balões de ensaio" e ruídos sobre o que virá a ser a proposição da equipe econômica de Paulo Guedes. Na última meia hora, o dólar acentuou os ganhos no mercado doméstico, batendo máximas nos segmentos à vista e futuro.

Às 10h29, o Ibovespa caía 0,31% aos 94.098 pontos. Entre as mais negociadas, as ações da Petrobras caíam, ainda que não tão acentuadamente como o petróleo. A ON da estatal recuava 0,70%.

O barril do Brent tinha queda de 1,70%. O barril do WTI perdia 2,05%. A ON da Embraer recuava 2,42%, um reflexo do corte na recomendação feita pelo Morgan Stanley para a ADR - de overweight (desempenho acima da média do mercado) para equal-weight (em linha com a média do mercado).

Diferentemente de seus pares, o Morgan Stanley reportou nesta quinta resultado abaixo do esperado, com lucro líquido de US$ 1,53 bilhão no 4º trimestre de 2018. Após a divulgação, a ação do banco americano passou a cair e, perto do horário acima, recuava cerca de 5%. Com isso, os futuros de Nova York acentuaram as perdas. Dow Jones futuro perdia 0,42%. S&P500 recuava 0,42%.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade