2 eventos ao vivo

6 TOP dicas para sair do vermelho agora

24 fev 2021
10h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Sair do vermelho, ter uma vida financeira equilibrada e reservas para investir naquilo que bem entender não é somente um sonho seu. Este é um desafio para milhões e milhões de brasileiros. 

Sim, é verdade que estar no mesmo barco do que mais endividados (ou na mesma tempestade, em barcos diferentes) não resolve o seu problema, entretanto, com conhecimento, resiliência e atitude você consegue migrar da estatística para o campo daqueles que venceram o endividamento.

A crise decorrente da Covid-19, aliada à instabilidade econômica crônica do nosso País, assim como a total falta de estímulo à educação financeira, ainda são pilares fortes a sustentar o endividamento.

Mas eles não estão sós. 

Endividar-se é um ato que requer muitas variáveis e que, a depender das ações que tomamos, pode nos afundar ainda mais à medida que o tempo passa.

Para que isso não seja realidade em sua vida, selecionamos 6 Top dicas para você seguir e começar a sair hoje do vermelho de uma vez por todas – ainda que, inicialmente, isso ocorra dentro da sua cabeça.

Foto: Divulgação iStock

Primeiro, vamos ao que fará a diferença na sua jornada: atitude. Impulsionada pela força de vontade e sustentada pela disciplina, a atitude é uma chave que abre muitas portas. 

Como é impossível chegar ao topo da escada sem subir o primeiro degrau, sair do vermelho sem sacrifício e dedicação também é impraticável. 

Não só porque o desânimo é cumulativo, mas os juros também o são. E são eles, os juros, os grandes responsáveis por implodir sonhos e objetivos de vida. 

Pagar dívidas: o primeiro passo

Não existe voltar ao azul sem pagar dívidas. E não existe paga-las sem disciplina e corte de gastos. 

Deixar a zona vermelha passa integralmente por sanar as dívidas – e não as ignorar.

Descubra 6 formas de se organizar para sair do vermelho e viver uma vida mais leve e tranquila. Por aqui!

1. Chega de despesas desnecessárias!

Um ciclo econômico contraproducente só chega ao fim quando você dá um basta radical. E, por radical, entenda-se eliminar velhos hábitos de consumo. Em suma: gastar menos, cortar mais. Liste todas as suas saídas e veja quais são desnecessárias. Claro que água, luz, Wi-Fi e energia elétrica não rola eliminar. Já os presentes, as idas ao restaurante, o streaming e a academia podem ser amortizados, sim. 

2. Recalcule tudo!

A gente não gerencia aquilo que não consegue medir. Se o seu desejo é voltar para o azul, saiba exatamente quanto você está devendo e para quem. Podem ser anotações num bloco de notas, num caderno, num app do celular. Não economize nos detalhes. Busque negociar com os credores, caso eles existam. Os mutirões de renegociação de dívidas do Serasa, SPC, os Procon e Defensorias Públicas podem ser muito úteis no seu caso, viu? Informe-se!

Foto: Divulgação iStock

3. Livre-se do acúmulo

Tem relógios ou óculos que não usa mais? Computador que aposentou? Eletrodomésticos? Faça um inventário daquilo que pode ser vendido e corra a um brechó online. Mais capitalizado, você terá mais oportunidades de voltar ao azul. Uma vez com dinheiro sobrando e dívidas pagas, você retornará às compras leve e sorridente.

4. Que tal uma renda extra?

Sim! A gente não percebe, contudo, existem diversas oportunidades de trabalho que estão aí para quem quer uma renda extra. Se você trabalha, por exemplo, tem chance de negociar horas extras e até um aumento de salário com seu chefe. Caso você seja autônomo ou está sem trabalho no momento, estes são batentes remunerados que podem cair como uma luva nessa hora difícil:

• Passeador de cães
• Motorista de app
• Freelancer (comunicação ou finanças)
• Artesão ou cozinheiro
• Locatário do próprio imóvel

5. Não se comprometa mais!

Enquanto você recalcula a rota para sair do vermelho, nada de novos gastos e dívidas! Busque juntar recursos para pagar suas contas à vista. Busque descontos ao pagar à vista e não se esqueça que o Brasil ainda pratica os maiores juros do mundo, quando o assunto é cartão de crédito.

6. Fuja dos parcelamentos

Atenção aos parcelamentos! Sair do vermelho constitui, também, em dar um basta e “pagar em várias vezes”. Isso passa uma falsa ideia de que o investimento não irá comprometer o orçamento. Compromete sim! Na maioria esmagadora dos casos, os juros estão impressos nas parcelas. Na dúvida, não compre ou compre à vista.

Dica bônus: quando possível, separe todos os meses uma reserva de emergência. Pode ser o valor e que for. O ideal, quando estiver consolidada, é ela equivaler a três meses de gastos seus. 

Outra forma de dar vida aos seus sonhos é a contratação de um crédito pessoal digital.  Já pensou no assunto? A Vivo, que você já conhece dos serviços de telefonia e TV, oferece a contratação de crédito pessoal de forma 100% digital, de forma segura, rápida e simples.

Você contrata a qualquer momento, e de qualquer lugar, pelo site www.vivomoney.com.br.

O valor máximo depende da análise de seu perfil de crédito, e varia de R$ 1.000,00 a R$ 30.000,00, sendo o vencimento da primeira parcela no mês seguinte à contratação do crédito pessoal na data que você escolheu no momento da assinatura do contrato e o dinheiro, quando aprovado, cai na sua conta em até 2 dias úteis após aprovação do contrato.

Fonte: TC
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade