1 evento ao vivo

EUA e China concordam em estabelecer escritórios de aplicação de acordo comercial, diz secretário

11 abr 2019
09h00
atualizado às 09h33
  • separator
  • 0
  • comentários

Os Estados Unidos e a China concordaram com um mecanismo para fiscalizar qualquer acordo comercial que alcançarem, incluindo o estabelecimento de novos "escritórios de implementação", disse o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin.

Funcionários organizam bandeiras dos Estados Unidos e China antes de rodada de negociações em Pequim
14/02/2019
Mark Schiefelbein/Pool via REUTERS
Funcionários organizam bandeiras dos Estados Unidos e China antes de rodada de negociações em Pequim 14/02/2019 Mark Schiefelbein/Pool via REUTERS
Foto: Reuters

Mnuchin, falando à CNBC na quarta-feira, afirmou que continua havendo progresso nas negociações, incluindo um telefonema "produtivo" com o vice-premiê da China, Liu He, na terça-feira à noite.

"Chegamos a um acordo sobre um mecanismo de aplicação, concordamos que ambos os lados vão estabelecer escritórios de implementação que lidarão com os assuntos em curso", disse Mnuchin, acrescentando que ainda há questões importantes para os países resolverem.

Mnuchin recusou-se a comentar sobre quando ou se as tarifas dos EUA sobre 250 bilhões de dólares em produtos chineses serão removidas. Embora o presidente norte-americano, Donald Trump, tenha dito recentemente que um acordo pode ser alcançado em abril, Mnuchin recuou-se a dar um prazo para as negociações.

O Ministério do Comércio chinês confirmou nesta quinta-feira que negociadores comerciais dos dois países discutiram as questões remanescentes em um telefonema após a última rodada de negociações em Washington.

"No próximo passo, ambas as equipes vão manter comunicação próxima e trabalhar em velocidade total através de todos os tipos de canais efetivos para avançar com as negociações", disse Gao Feng, porta-voz do ministério, a repórteres.

Mnuchin não falou sobre se a estrutura de implementação permitirá que os EUA tenham o direito unilateral de reimpor tarifas sem retaliação se a China não cumprir seus compromissos.

Reportagem de David Lawder e Pete Schroeder; reportagem adicional de Yawen Chen em Pequim)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade