PUBLICIDADE

Distribuidoras de água aumentam vendas e contratam em SP

Empresa da capital paulista diz que procura por galões mais que triplicou com o agravamento da crise hídrica

11 nov 2014 08h00
ver comentários
Publicidade
Empresários tiveram de ampliar o quadro de funcionários para dar conta da nova demanda
Empresários tiveram de ampliar o quadro de funcionários para dar conta da nova demanda
Foto: Laborant / Shutterstock

Não é todo mundo que está sofrendo com a falta de água em São Paulo. Enquanto vários setores da economia estão perdendo dinheiro com os cortes no fornecimento, para alguns a crise hídrica está afetando positivamente os negócios. É o caso das distribuidoras de água mineral, que nos últimos meses registraram um significativo aumento nas vendas.

Com unidades nos bairros do Itaim Bibi e do Real Parque, a distribuidora Rocha Branca, por exemplo, viu a procura por galões aumentar de três a quatro vezes com o agravamento da crise. “Muitas pessoas que antes usavam filtro passaram a reclamar que a água está saindo suja e barrenta, e passaram a nos procurar”, afirma a gerente geral Roberta Schermann.

Sem água, agricultores familiares reduzem produção em SP

Empresas podem processar fornecedoras por falta de água

Por R$ 50 mil, empresa pode contornar falta de água com poço

Além disso, aqueles que já eram clientes da distribuidora passaram a comprar mais galões para fazer um pequeno estoque – seja em casa, seja na empresa. “Tivemos um caso de um homem que comprou 40 galões de uma vez, e disse que estava estocando tudo na sala de casa”, conta Roberta. Para dar conta do aumento da demanda, a empresa teve de contratar mais trabalhadores, tanto para o atendimento quanto para as entregas, ampliando seu quadro de funcionários em 40%. 

Situação parecida vive a Legião Paulista das Águas, que possui uma unidade na Bela Vista e outra no Itaim Bibi. Após dobrar as vendas com a falta de chuvas, a distribuidora não apenas realizou novas contratações, como também teve de aumentar seus estoques. “Trabalhamos com galões de 10 e 20 litros retornáveis. Como nossos clientes compram cada vez mais, tivemos de investir em novos vasilhames e até estocar um pouco para o caso de faltar água”, afirma o proprietário, Fernando Soares.

Inflação
Apesar de estarem faturando com o crescimento da procura, algumas distribuidoras estão tendo que lidar com a inflação do preço da água, provocado pelo grande aumento da demanda. Soares diz que o valor subiu cerca de 40% no caso dos galões, e 20% nos recipientes menores. “Estamos tentando não repassar todo este valor para o cliente, para fidelizar aqueles que estão nos procurando neste momento. Mesmo assim, muitas pessoas reclamam e chegam a procurar outros lugares, percebendo assim que o problema é geral”, explica o empresário.

A Rocha Branca, no entanto, não passa pelo mesmo problema, pois retira a água de uma fonte própria, localizada no município de Embu das Artes, na Região Metropolitana de São Paulo. “Lá ainda não foi afetado pela falta de chuva, então conseguimos manter os preços estáveis para o consumidor”, diz Roberta Schermann.

Fonte: PrimaPagina
Publicidade
Publicidade