0

Dólar oscila perto da estabilidade, à espera de novidades da reunião Trump-Xi

27 jun 2019
18h26
  • separator
  • 0
  • comentários

O dólar oscilou bem perto da estabilidade diante de uma cesta de moedas fortes nesta quinta-feira, 27, com investidores à espera de novidades nas negociações comerciais entre Estados Unidos e China. No fim da tarde em Nova York, o dólar recuava a 107,77 ienes, o euro operava estável, a US$ 1,1373, enquanto a libra caía a US$ 1,2671, no fim da tarde em Nova York. O índice DXY, que mede o dólar ante outras moedas fortes, teve baixa de 0,02%, a 96,194 pontos.

A expectativa com o diálogo entre os líderes dominou o cenário. Nesse quadro, o mercado não reagiu à leitura final do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no primeiro trimestre, que mostrou crescimento de 3,1% na leitura anualizada, como previsto.

Entre os dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), a presidente do Fed de San Francisco, Mary Daly, afirmou que a instituição não toma decisões "baseadas em precificação do mercado". Segundo Daly, as tensões comerciais entre EUA e China têm tido impacto "modesto" na inflação e no crescimento.

Na avaliação do Bank of America Merril Lynch, o dólar pode se enfraquecer ante o euro no curto prazo, no caso de um acordo fraco entre as potências e de um corte de juros pelo Fed. Segundo o banco, ajustes nos juros amparam a perspectiva de um dólar mais fraco, em meio a expectativas de que EUA e China possam evitar os piores cenários na disputa comercial.

Entre outras moedas emergentes em foco, o dólar avançou a 19,1670 pesos mexicanos, de 19,1495 no fim da tarde de quarta, após o Banco Central do México (Banxico) manter a taxa básica de juros em 8,25%, mas um dos dirigentes votar por um corte de 0,25 ponto porcentual. O dólar, porém, não mostrou sinal único diante das divisas de países emergentes e ligados a commodities.

A moeda virtual Bitcoin, por sua vez, recuava 22,71%, a US$ 10.660, perto do fechamento em Nova York, com forte ajuste após ter superado na quarta a marca de US$ 13 mil pela primeira vez desde janeiro de 2018. O Bitcoin vinha sendo apoiado pela notícia de que o Facebook desenvolve sua própria moeda digital, a Libra, o que pode ser um argumento para a adoção mais disseminada das chamadas criptomoedas. Com informações da Dow Jones Newswires

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade