PUBLICIDADE

Pare de contar para si mesmo essas 4 mentiras sobre dinheiro

Uma boa educação financeira ainda é a melhor solução para não cair nas próprias armadilhas.

12 jun 2022 05h00
ver comentários
Publicidade
Foto: Adobe Stock

A gente tenta se enganar e às vezes consegue. Principalmente quando o assunto é dinheiro. As clássicas frases "eu mereço" ou "está em promoção" são verdadeiros hits para se justificar um gasto que não estava no planejamento. Mas isso nunca é uma boa ideia. O prazer passageiro da compra pode se transformar numa dor de cabeça em curto prazo e, quando repetido, a tendência é virar um pesadelo no médio prazo. 

Pedimos consultoria da fintech Mozper, especialista em educação financeira, para identificar as quatro principais mentiras que contamos a nós mesmos sobre dinheiro. Olha o que descobrimos.

1. "Eu mereço" 

Quem nunca...? O problema é quando usamos esse argumento para justificar a compra para nós mesmos ― mas isso tem um preço. Se você pensar um pouco sobre a possibilidade de essa compra afetar sua capacidade de arcar com itens mais essenciais, talvez nem faça a compra.

2. "Está em promoção" 

Toda promoção tem um preço. E não é por estar em promoção que você “precisa” comprar. O grande erro é fazer diversas compras menores que, no fim do mês, vão trazer um peso considerável às finanças. Sabe a história do “barato sai caro”? Pura verdade.

3. "Estou triste, preciso fazer compras" 

Sair comprando as coisas não é remédio pra nada. Na verdade, pode agravar o problema. E isso se aplica não apenas para quem está triste, mas também para quem está deprimido, ansioso etc. Nesses casos, fazer compras não é remédio, e sim veneno.

4. "Depois eu começo a economizar" 

Essa talvez seja a pior e a mais graves das mentiras que você pode contar para si mesmo. É como o famoso “começo na segunda-feira” ou como as dietas de 1º de janeiro. Depois a conta chega e você não sabe como sair da situação.

A melhor maneira de não se complicar com essas mentiras é não contá-las. E a melhor forma de não contá-las e tendo uma educação financeira. Segundo uma pesquisa realizada em janeiro de 2022 pela Mozper, 43% dos pais de crianças e adolescentes de 10 a 17 anos no Brasil não tiveram educação financeira na infância. Entretanto, atualmente, 90% deles declaram conversar sobre o assunto com os filhos.

"A educação financeira é consequência da repetição de atividades que estimulam a criação de bons hábitos e uma relação saudável com o dinheiro", afirma Gabriel Roizner, CEO da Mozper.

Redação Dinheiro em Dia
Publicidade
Publicidade