PUBLICIDADE

Ganhe um dinheiro extra apenas viajando pelo mundo

Que tal pedir para alguém trazer o novo iPhone para você dos Estados Unidos?

24 mai 2022 01h00
| atualizado em 27/5/2022 às 20h14
ver comentários
Publicidade
Foto: Adobe Stock

Você lembra do projeto “Cabe na Mala”? Funcionava assim: era um site de entrega colaborativa, em que pessoas que viajavam ao exterior traziam algum produto para quem está aqui. Quem ia viajar, se cadastrava como viajante; quem queria comprar, se cadastrava como colaborador. O site hoje transformou-se em um blog de dicas de compras, mas a ideia não morreu.

A gourmetização definitiva do “sacoleiro” hoje ganhou novos contornos, especialmente com o app Grabr, que já conta com 750 mil cadastrados só no Brasil. A ideia é mais ou menos a mesma do “Cabe na Mala”: alguém quer um produto que só tem em determinado país e oferece uma “recompensa” para um viajante que possa trazê-lo. Quem topa a experiência, recebe o dinheiro da compra mais a “recompensa”.

A experiência está dando tão certo que tem gente que ganha uma média de US$ 200 por viagem, fazendo disso uma constante. É o caso do engenheiro Marcos, 32 anos, que mora no Rio de Janeiro e viaja constantemente a trabalho para os Estados Unidos. Na volta, sempre traz encomendas de iPhones, iPads e cosméticos.

“Já faço isso pela Grabr há um tempo e a experiência tem sido excelente. É seguro e uma renda extra garantida. Além disso, é bem legal ver a satisfação de quem fez a compra, quando combinamos a entrega e a pessoa recebe o item desejado”, disse Marcos. 

E adivinhe o que está no topo da lista de desejos de quem está disposto a pagar uma “recompensa” pela encomenda? Os eletrônicos, é claro. “Como esse tipo de produto tem um preço bem melhor nos Estados Unidos, costumo trazer sempre, mas já trouxe também itens esportivos e outros tipos de pedido. O importante é ficar atento às especificações, para não comprar errado”, completa Marcos. 

A vantagem de ter um app de entrega colaborativa passa pela segurança dos dois lados, para que ninguém saia perdendo. “É importante que essa experiência seja vantajosa para os dois lados, tanto para o comprador, que vai adquirir um produto e pode pagar bem mais barato fora do Brasil, quanto para o viajante”, comenta Ivan de Castro, head de marketing Latam da Grabr. “Nossa prioridade é que isso seja feito de uma forma muito segura e que os dois lados tenham uma boa experiência com a Grabr”.

Redação Dinheiro em Dia
Publicidade
Publicidade