PUBLICIDADE

Férias: especialistas dão dicas pra quem viajará com dólar alto

Veja como economizar na compra do dólar e na passagem aérea em momento de alta da moeda estrangeira.

2 jul 2022 - 06h00
Ver comentários
Foto: Adobe Stock

Quem está planejando viajar para fora do país neste ano agora lida com um balde de água fria: este mês o dólar volta a ter trajetória de alta. Nesta sexta-feira, primeiro de julho, o dólar chegou a ser negociado a R$ 5,33, maior cotação em cinco meses. Tanto os custos fora do país como o preço das passagens são afetados pela valorização. Especialistas dão dicas de como economizar no momento de alta. 

Como economizar na compra de dólares? 

De acordo com a educadora financeira Aline Soaper, o ideal é ir comprando o dólar ao longo do tempo: “Na média, dá pra conseguir valores mais baixos, isso porque vão ter dias e meses que a cotação do dólar estará mais baixa, em outros mais alta. O que muitas pessoas fazem é esperar o ‘momento perfeito’ para comprar o dólar com a melhor cotação, mas esse momento pode não acontecer. Por isso, o ideal é ir comprando aos poucos”, explica Soaper. 

Por exemplo, se a pessoa vai fazer uma viagem que ela sabe que vai gastar US$ 1 mil, ela pode dividir ao longo de 10 meses, e comprar US$ 100 dólares por mês. No final, ela terá o montante que precisa, com o valor médio mais baixo, do que se tivesse esperado para comprar todo o valor total no mesmo dia. 

Se tem 4 meses para comprar, pode comprar a cada semana do mês, durante esses meses, para economizar pagando esse valor médio.

Por que as passagens aéreas estão tão caras? 

Luiz Moura, sócio-fundador da Voll, plataforma de mobilidade e viagens corporativas, explica que hoje, cerca de 30% do valor da passagem aérea é referente ao custo com combustível, e que o conflito na Rússia e suas consequências têm sido as principais razões para o aumento das passagens: “De janeiro até início de junho, por exemplo, o combustível dos aviões acumulou alta de 64,3%, segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). A variação do dólar também interfere nos preços, mas não é o único nem o principal fator que ocasiona o aumento”. 

Além disso, a pandemia também tem impacto no aumento: “É importante observar também que vivemos dois anos de pandemia, que afetaram diretamente o setor de aviação, e que agora não tem condições de absorver mais estes custos sem sofrer sérios prejuízos. Portanto, se o preço dos combustíveis sobe, uma hora ou outra, as companhias aéreas precisam repassar esse aumento de custo para seus consumidores finais”. 

Para Aline Soaper, o ideal é ir comprando o dólar ao longo do tempo
Para Aline Soaper, o ideal é ir comprando o dólar ao longo do tempo
Foto: Carlos Leo Pereira

Como economizar na aquisição das passagens aéreas?

“Minha principal sugestão é que o usuário esteja atento e procure agir com planejamento e flexibilidade”, diz Luiz Moura. 

Ele ressalta que para isso o comprador deve ser flexível com horários e procurar voos em dias menos concorridos. Além disso, deve avaliar aeroportos alternativos, como, por exemplo, cogitar partir ou chegar por Guarulhos ou Campinas, e o mesmo vale para destinos internacionais. 

Outra dica de Moura é que o viajante leia atentamente as regras e eleja um plano de milhagem que melhor se encaixe na sua realidade e, a partir dali, passe a acompanhar bem o plano escolhido. 

Já no caso do viagens corporativas, segundo Moura: "A empresa que tem em mãos ferramentas modernas, como plataformas que ofereçam recursos arrojados, terá com certeza mais chances de economizar, pois por meio delas é possível ter comparativos de preços, mais agilidade e transparência no processo de reservas”, finalizou.

Redação Dinheiro em Dia
Publicidade
Publicidade