PUBLICIDADE

Ele quebrou 6 vezes e hoje tem uma rede inspirada na Fórmula 1

Teimoso? Maluco? Persistente? Conheça alguém que realmente confia em si.

6 jul 2022 - 09h19
(atualizado em 8/7/2022 às 15h43)
Ver comentários
Publicidade
Foto: Divulgação

Empreender é, antes de tudo, ter persistência. E isso tem gente que tem de sobra. É o caso de Gare Marques, um persistente (teimoso?) de marca maior que quebrou 6 vezes e, na sétima montou a Mais1 Café, maior rede de cafés especiais com atendimento digital do Brasil. 

Mas como chegar a essa receita de sucesso de uma rede inspirada na Fórmula 1? Essa história precisa ser contada desde o início.

A "herança" do pai piloto

Quando tinha apenas 18 anos de idade, Gare Marques morava em Curitiba-PR e precisou assumir a empresa de defensivos agrícolas fundada pelo pai, o ex-piloto de stock car, Paulo de Tarso Marques. O pai deixou a empresa com Gare e partiu para acompanhar a carreira de seu outro filho, Tarso Marques, que já era piloto de F1.

O espírito empreendedor pulsava em Gare, que decidiu fazer sua própria empreitada no mercado financeiro em 2003 e em 2004, quebrando nas duas vezes. Aí, ele partiu para a paixão da família e decidiu financiar o carro que o irmão estava projetando pra Renault. O projeto não foi adiante e Gare perdeu todo o dinheiro investido.

O quarto empreendimento de Gare foi montar sua própria equipe de automobilismo, a Action Power Racing, passando a competir também como piloto de stock car. Um acidente destruiu os três carros da equipe e todo o investimento foi perdido. Já o quinto empreendimento foi uma empresa de montagem de alto-falantes automotivos, que também não foi adiante.

A sexta quebra de Gare aconteceu com a própria empresa de defensivos agrícolas, que despertou o interesse de uma grande empresa indiana. Já com a negociação praticamente fechada com os indianos, por conta das especulações e mudanças nas leis governamentais, a negociação ficou travada e Gare viu sua empresa avaliada em US$ 50 milhões virar zero.

Um dia a maré tinha que virar. E virou!

Em 2014, conheceu seus atuais sócios: Alan Parise, Vinicius Delatorre e Hilston Guerim. Juntos, decidiram criar a PDMG (Parise, Delatorre, Marques e Guerim). Os quatro começaram a traçar novos planos e abriram a Sniper, um centro de entretenimento desenvolvido para shoppings, entrando de forma madura no franchising. Mas, como as lojas da Sniper eram todas dentro de malls, tiveram que interromper as atividades diante do cenário de pandemia.

Em dezembro de 2019, quatro meses antes de ser oficialmente decretada a pandemia do coronavírus, eles criaram a Mais1 Café, uma marca com o conceito “to go” (para levar), sem espaço para o consumo, e com todos os produtos pensados para que os clientes pudessem levar para casa ou trabalho. 

Hoje ela tem mais de 500 unidades espalhadas pelo país e tem previsão de encerrar a temporada 2022 com um faturamento de R$ 110 milhões. 

O próprio Gare aproveita para nos contar um pouco de sua história.

Ele quebrou 6 vezes e hoje tem uma rede inspirada na Fórmula 1:

 

Redação Dinheiro em Dia
Publicidade
Publicidade