PUBLICIDADE

8 preocupações vitais que você precisa ter ao abrir uma empresa

Tem preocupações que não podem ficar de lado na hora de abrir uma empresa

3 ago 2022 - 06h20
Ver comentários
Publicidade
Foto: Adobe Stock

No primeiro semestre de 2022, só no estado de São Paulo foram abertos 150,4 mil empreendimentos foram abertos, de acordo com a Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp). Considerando que 62,6 mil fecharam as portas no mesmo período, temos um saldo de 87,8 mil novas empresas a mais, número que é 68% superior ao mesmo período de 2019, por exemplo.

O fato é que muitos brasileiros querem abrir seu próprio negócio, mas muita gente está deixando passar detalhes que podem influenciar até o futuro do empreendimento. É o caso, por exemplo, de elaboração do contrato social, escolha do tipo de tributação da empresa, escolha do imóvel e obtenção de alvará, entre tantas outras coisas.

Com a consultoria de Richard Domingos, diretor executivo da Confirp Contabilidade, trazemos 8 preocupações que não podem ficar de fora na hora de abrir uma empresa.

1. Planejamento do negócio 

“O grande problema na maioria das empresas abertas é que isso ocorre impulsivamente. Em função disso, não há um plano de negócio estabelecido, público-alvo e estrutura necessária. Assim, antes de qualquer coisa é necessário sentar e ver o que se pretende e como se objetiva atingir”, diz o especialista. 

Existem hoje em dia diversos cursos de capacitação para empreendedores, muito desses gratuitos. Também é importante pesquisar como está o mercado em que pretende atuar, para ver em qual nicho de público se encaixará.

2. Cálculo de custos para começar a funcionar 

“É preciso que se tenha em mente que para colocar uma empresa para funcionar haverá custos que vão além dos que já se conhece no dia a dia de uma empresa com infraestrutura e pessoal. Dentre esses os principais são as taxas da junta comercial e da emissão do alvará, dentre outras que variam de acordo com a localidade e o ramo de atuação”, diz Richard, que trabalha justamente em uma empresa que resolve esse tipo de burocracia.

3. Elaboração do contrato social 

É nesse documento que estão relacionados os pontos práticos do funcionamento da empresa, como nome, endereço e atividade, capital social (valor ou bens investidos), qual a relação entre os sócios e como se dá a divisão dos lucros.

“Importante frisar que quaisquer alterações contratuais, faz com que se tenha que refazer as inscrições federal, estadual e municipal e as licenças. As sociedades limitadas só podem alteradas se 75% do capital estiver de acordo. Geralmente o registro de um contrato social pode ser agilizado procurando o sindicato da categoria da empresa, sendo que ele pode possuir um posto avançado da junta comercial. Com isso, todo esse processo pode ser finalizado em até 24 horas.”

4. Regime tributário 

Simples Nacional, Presumido ou Real? A opção pelo tipo de tributação que a empresa utilizará deve ser feita até o início do ano seguinte, mas, as análises devem ser realizadas com antecedência para que se tenha certeza da opção, diminuindo as chances de erros.

“Cada caso deve ser analisado individualmente, não existe um modelo exato para a realização de um planejamento. Apesar de muitos pensarem que melhor tipo de tributação é o Simples, existem até mesmo casos que esse tipo de tributação não é o mais interessante, mesmo que a companhia se enquadre em todas as especificações”, alerta o especialista.

5. Estrutura física 

É preciso definir como será a estrutura para o funcionamento da empresa. Hoje em dia, é preciso também definir bem se haverá um regime de trabalho híbrido ou home office. Isso influenciará na compra de maquinário e material de escritório .

“É importante que se observe também se esse se adéqua ao público que pretende atingir e, principalmente, diretrizes estabelecidas pelo município referente ao local.”

6. Registros e licenças 

É fato que a burocracia no Brasil melhorou, mas ainda está longe do ideal para quem abre uma empresa. Portanto, é fundamental para empresas possuírem os registros e licenças necessárias para o funcionamento, caso contrário isso se configura em um risco jurídicos. 

Veja todos os documentos necessários e em quais órgão buscar:

  • • Junta Comercial: registros dos atos sociais (contrato social, atas de reuniões, deliberações etc.).
  • • Receita Federal: para obtenção de registro do CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica).
  • • Prefeitura: para obtenção do Alvará de Funcionamento e nota fiscal, caso a empresa seja contribuinte do ISS (Imposto Sobre Serviços).
  • • Secretaria Estadual da Fazenda: para obtenção de inscrição Estadual.

7. Contratação de uma contabilidade 

“Toda empresa necessita de uma contabilidade par funcionar. Essa que será responsável por estar gerando as informações imprescindíveis para a empresa esteja em dia com os órgãos públicos”, explica Richard. “Também são responsáveis pelo cálculo de impostos e tributos que a empresa deverá pagar, bem como análise da situação contábil da empresa e geração de informações imprescindíveis para a gestão empresarial.”

8. Processo de contratação de profissionais 

A empresa que você vai abrir terá funcionários? Em caso positivo, será necessário abrir processos seletivos para contratação. 

“Hoje esse ponto é um dos mais problemáticos para as empresas em função de um crescente apagão de mão de obra que passa o país . Após a contratação é necessário elaborar o contrato de trabalho, definir salários benefícios ver qual o melhor regime de trabalho e regularizar o mesmo junto ao INSS”, finaliza o especialista. 

Redação Dinheiro em Dia
Publicidade
Publicidade