5 eventos ao vivo

Dados da China estimulam ganhos moderados nas bolsas europeias

10 ago 2020
13h48
atualizado às 14h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

As ações europeias fecharam ligeiramente em alta nesta segunda-feira, com as ações cíclicas sensíveis ao crescimento recebendo impulso da melhoria de dados econômicos da China, mas as tensões sino-americanas afetaram o setor de tecnologia.

Bolsa de valores de Frankfurt, Alemanha 
10/08/2020
REUTERS/Staff
Bolsa de valores de Frankfurt, Alemanha 10/08/2020 REUTERS/Staff
Foto: Reuters

Com os volumes de negociação reduzidos conforme vários operadores entram em férias de verão, o índice FTSEurofirst 300 subiu 0,26%, a 1.414 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,3%, a 365 pontos. O STOXX 600 viu seu volume de negociação cair para quase 75% de sua média móvel de 30 dias.

Dados mostraram que a deflação nas fábricas da China diminuiu em julho devido ao aumento nos preços globais do petróleo e conforme a atividade industrial voltava aos níveis pré-coronavírus, aumentando as esperanças de uma recuperação na segunda maior economia do mundo.

As gigantes de energia BP, Royal Dutch Shell e Total avançaram entre 1,3% e 3%, enquanto os preços do petróleo subiam.

As ações do setor bancário tiveram alta de 2,0%, liderando os ganhos setoriais, enquanto o índice de viagens e lazer, que recebeu um forte golpe da crise de saúde, subiu 0,9%.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,31%, a 6.050 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,10%, a 12.687 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,41%, a 4.909 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,69%, a 19.651 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 1,49%, a 7.053 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,67%, a 4.396 pontos.

Veja também:

Polícia investiga ação do PCC nas eleições em SP
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade