PUBLICIDADE

CVC investe em aplicativo de conteúdo por geolocalização para turistas 

Valor do aporte não foi divulgado, mas a empresa de turismo tem a opção de compra de 100% da operação do aplicativo WeTrek, criado nos Estados Unidos

27 jan 2022 21h31
ver comentários
Publicidade

A CVC Corp partiu para mais uma investida nos Estados Unidos. Depois de comprar a VHC, voltada para a gestão de locação de residências (modelo similar ao do Airbnb), a maior companhia de turismo do País decidiu investir na empresa norte-americana WeTrek que tem como principal negócio um aplicativo voltado com dicas de viagens para turistas independentes. O valor do aporte no negócio, que foi criado em 2020 pelo brasileiro Calex Guimarães, não foi divulgado, mas a CVC tem a opção de compra de 100% da operação.

Segundo o presidente da CVC, Leonel Andrade, o investimento na startup está em linha com a estratégia da empresa de trazer mais benefícios para os turistas da empresa. Entre os serviços oferecidos pela WeTrek estão conteúdos em áudio explicando o significado de diversos cartões postais e sugestões de passeios baseado na localização do viajante, inclusive com a possibilidade de comprar ingressos pela própria ferramenta.

"Durante a viagem, a maior parte dos locais que você decide ir são decididos no local. Portanto, o aplicativo ajuda a transformar essa experiência em algo mais prazeroso e efetivo", diz Andrade.

Por enquanto, o aplicativo tem apenas conteúdos voltados para a região de Miami, mas a ideia da CVC é que o serviço seja ampliado para diversos lugares, como o Brasil e também a Argentina, dois dos maiores destinos dos viajantes da CVC. Até agora, todos os conteúdos estão em inglês, mas a ideia é que ao longo do ano que os usuários também tenham as opções de inglês e espanhol.

Longo prazo

Apesar de ser um negócio pequeno, a compra é mais um sinal da modernização da CVC, de acordo com o presidente. Se antes a CVC era mais focada apenas na venda de pacotes e na recepção dos passageiros, Andrade afirma que o objetivo é estar presente em todos os momentos do cliente, inclusive para gerar fidelização, apesar de que o aplicativo será aberto para usuários que não necessariamente são clientes da CVC.

"Queremos ter domínio e participação em 100% da jornada do passageiro, desde o sonho até o retorno dele. A nossa tradição era de sempre estar na hora da venda e no receptivo, mas isso não é mais o suficiente", afirma.

A companhia, inclusive, já tem o seu plano de fidelidade em gestação. A projeção do presidente da CVC é que o negócio esteja rodando no segundo semestre, entre setembro e outubro.

Resultados

Apesar do avanço da variante Ômicron, que fez os números de casos explodirem, a CVC um crescimento de 64% em suas reservas confirmadas no quatro trimestre de 2021, em comparação ao mesmo período do ano anterior. Os dados foram apresentados em sua prévia operacional na semana passada.

Porém, mesmo com a alta, as reservas ainda representam 66% do total vendido no quatro trimestre de 2019. De acordo com a empresa, houve uma desaceleração das vendas nas duas últimas semanas do ano por causa da explosão de casos da Covid-19. Para piorar a situação, a empresa deixou de operar por quase duas semanas no início de outubro por causa de um ataque hacker.

Estadão
Publicidade
Publicidade