PUBLICIDADE

Cooperativas agropecuárias do Paraná pretendem dobrar faturamento até 2026

23 jul 2021 13h12
ver comentários
Publicidade

São Paulo, 23 - As cooperativas agropecuárias do Paraná pretendem dobrar nos próximos anos o faturamento alcançado em 2020, que foi de R$ 215,7 bilhões. Segundo o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, tal resultado pode ser obtido entre 2025 e 2026. Conforme nota da Ocepar, há o objetivo, neste período, de alcançar o número de 4 milhões de cooperados, 200 mil empregados e sobras anuais de R$ 10 bilhões, além de investir pelo menos R$ 5 bilhões por ano.

Esses números fazem parte do novo planejamento estratégico Plano Paraná Cooperativo PRC200, apresentado nesta quinta-feira (22) pelo Sistema Ocepar, durante o 2º Fórum Virtual dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses, que teve a presença da ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Ainda conforme Ricken, na nota, o PRC200 é uma tentativa de "ir além do que já é realizado pelas cooperativas, mostrando que o sistema tem potencial e pode sonhar ainda mais alto". Ricken lembra que nunca houve "uma demanda tão grande por alimentos no ramo agropecuário". "Então, obviamente, nosso futuro depende de um planejamento organizado."

O Sistema Ocepar lembra, ainda, que no ano passado o sistema cooperativista agropecuário paranaense encerrou com 217 unidades agroindustriais cooperadas, 2,4 milhões de cooperados e 117,9 mil funcionários.

Também presente ao evento virtual, o governador em exercício do Paraná, Darci Piana, lembrou que o Estado vai investir em infraestrutura e logística, o que contribuirá para que as cooperativas alcancem seu objetivo. Ele citou como exemplo a pavimentação de 376 quilômetros de estradas rurais até dezembro, com investimentos de R$ 125 milhões. Além disso, o projeto de duplicação de 1,8 mil quilômetros de rodovias concedidas à iniciativa privada, com investimentos de R$ 42 bilhões em sete anos. Piana destacou também da conquista do status do Paraná, como área livre de febre aftosa sem vacinação, o que abrirá mercados às carnes do Estado.

O governador em exercício ressaltou, por fim, o programa Paraná Trifásico, da Copel, que prevê implementação de 25 mil quilômetros de linhas seguras para os produtores rurais; e o Descomplica Rural, que permite acesso mais ágil às licenças necessárias para ampliação da produção.

Estadão
Publicidade
Publicidade