0

Confiança na Previdência leva Ibovespa aos 100 mil pontos pela 1ª vez

18 mar 2019
18h22
  • separator
  • comentários

A inédita marca dos 100 mil pontos do Índice Bovespa foi atingida pela primeira vez nesta segunda-feira, 18, numa evidência de que o mercado brasileiro de ações segue antecipando a aprovação da reforma da Previdência no Congresso. Pesaram positivamente declarações dos ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Paulo Guedes (Economia), que reforçaram entre os investidores a percepção de que os esforços necessários para implementar a reforma estão sendo feitos.

O índice oscilou em terreno positivo desde a abertura, com boa contribuição do mercado internacional, que se mostrou favorável à tomada de risco. A chegada à esperada pontuação ocorreu às 14h50 e o índice manteve-se ao redor desse patamar até as 14h56, depois de ter atingido máxima aos 100.037,69 pontos (+0,91). Em seguida, perdeu parte do fôlego e fechou aos 99.993,92 pontos, em novo recorde histórico, com alta de 0,86%.

A superação pontual da resistência psicológica ocorreu poucos minutos após declarações do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que, entre outros pontos, disse não ter dúvidas de que a reforma da Previdência será aprovada ainda no primeiro semestre. Em entrevista exclusiva ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, admitiu dificuldades na articulação com parlamentares, mas disse que é preciso "ter paciência". O ministro confirmou que a proposta de previdência dos militares será enviada ao Congresso na próxima quarta-feira, 20.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o governo vai se apressar para levar a proposta dos militares ao Congresso na quarta-feira. Ele afirmou ainda que se a economia com o novo sistema de Previdência Social for menor do que de R$ 1 trilhão em dez anos, "o compromisso com as futuras gerações é relativo, o que é lamentável". As manifestações dos dois ministros foram interpretadas positivamente, como sinais de empenho do governo, entrosamento de discursos e busca pelo convencimento dos parlamentares.

"O índice ainda não fechou acima dos 100 mil pontos, mas essa é uma questão de tempo. A chegada a esse patamar hoje (segunda-feira) é resultado da maior visibilidade da reforma, que tem promovido uma diminuição das incertezas. Uma vez aprovada, a bolsa será o mercado que mais irá se beneficiar desse cenário transformacional", disse Karel Luketic, analista-chefe da XP Investimentos.

Para Mario Mariante, chefe de análise da Planner Corretora, a alta vista nesta segunda e nos últimos dias é um sinal claro de que o mercado já antecipa a reforma da Previdência, baseado em argumentos concretos. "O governo passa a colocar maior pressão sobre os parlamentares, o cenário externo se mostra mais tranquilo e o noticiário corporativo é positivo para a maioria das blue chips", disse.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade