0

Confiança de serviços no Brasil tem leve recuperação em maio, diz FGV

28 mai 2020
08h26
atualizado às 09h08
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A confiança do setor de serviços no Brasil teve recuperação em maio após uma redução nas expectativas pessimistas, mas os ganhos não foram suficientes para compensar as perdas históricas sofridas nos últimos dois meses.

Mesas vazias de restaurantes no Rio de Janeiro, em meio ao surto do novo coronavírus
20/03/2020
REUTERS/Pilar Olivares
Mesas vazias de restaurantes no Rio de Janeiro, em meio ao surto do novo coronavírus 20/03/2020 REUTERS/Pilar Olivares
Foto: Reuters

A Fundação Getulio Vargas (FGV) disse nesta quinta-feira que o seu Índice de Confiança de Serviços (ICS) teve alta de 9,4 pontos em maio, para 60,5 pontos. Em abril, o índice havia caído para a mínima da série histórica, iniciada em junho de 2008.

Mas de acordo com a FGV o resultado de maio representa uma recuperação de apenas 21,7% ante as perdas sofridas nos últimos dois meses em meio às consequências econômicas da pandemia de coronavírus.

"A melhora foi muito influenciada pela revisão das expectativas, sinalizando uma redução do pessimismo", disse em nota Rodolpho Tobler, economista da FGV IBRE. "Para os próximos meses, ainda não é possível enxergar recuperação robusta principalmente pela alta incerteza e pelo cenário negativo no mercado de trabalho."

O Índice de Expectativas (IE-S) -- que mede a percepção dos empresários sobre o futuro do setor de serviços -- teve alta de 17,4 pontos este mês, para 64,7 pontos, recuperando somente 32,5% da queda acumulada nos três meses anteriores.

Já o Índice de Situação Atual (ISA-S) subiu 1,5 ponto, continuando próximo à minima histórica de 55,5 pontos registrada em abril.

Veja também:

BC corta Selic para 3% ao ano
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade