0

Teste: Honda HR-V 1.5 Turbo vai além dos 33 cavalos extras

O HR-V chegou à linha 2020 com a verdadeira versão Touring, que enfim ganhou o mesmo motor 1.5 turbinado do Civic Touring, porém muito mais

11 out 2019
17h29
  • separator
  • 0
  • comentários

O Honda HR-V chegou e aconteceu porque o seu motor de 140 cv já era um bom diferencial perante os concorrentes. Porém, novos carros chegaram ao mercado, por isso a Honda trouxe para a linha 2020 a versão Touring, com o mesmo motor 1.5 turbo flex que equipa o Civic Touring. Ele desenvolve 173 cv de potência a 5.500 rpm e entrega 220 Nm de torque entre 1.700 e 5.500 rpm -- uma faixa muito ampla de giros, o que melhora bastante seu desempenho em baixas velocidades.

O HR-V Touring 2020 tem motor 1.5 turbo de 173 cavalos.
O HR-V Touring 2020 tem motor 1.5 turbo de 173 cavalos.
Foto: Divulgação

O novo motor turbinado deu ainda mais desempenho ao Honda HR-V, pois são 33 cavalos de diferença em relação ao motor 1.8 aspirado. Junto a isso, a Honda manteve o ótimo ajuste das suspensões, o que faz do HR-V um dos melhores carros de sua categoria. Em muitos aspectos, ele é muito mais um hatch elevado do que um SUV autêntico -- e isso é bom, para quem gosta de desempenho.

O HR-V Touring 2020 é mais potente que o Touring das linhas 2017 e 2018.
O HR-V Touring 2020 é mais potente que o Touring das linhas 2017 e 2018.
Foto: Divulgação

No Honda HR-V Touring 2020, o acabamento interno pode ser cinza claro ou preto. Isso vale para os bancos de couro, laterais de porta, console central e painel. Esta versão também tem exclusivas costuras duplas nas laterais de porta. Em relação ao restante da linha, o HR-V Touring traz outros itens exclusivos, como sensores de chuva e retrovisor fotocrômico automático. Para completar, essa versão incorpora todas as novidades visuais introduzidas no HR-V na linha 2019, como grade larga que percorre toda a área frontal, avançando sobre os faróis. 

Os faróis têm luzes diurnas de LED integradas e conjunto óptico duplo. Atrás, as lanternas trazem guias de LED e acabamento escurecido na parte inferior. Na cabine, houve melhoria nos bancos, que são muito bons, graças ao apoio superior para a região das costas e pernas. A posição de dirigir também agrada bastante.

Porém, esse carro tem um pequeno pênalti que o impede de ser empolgante como um SUV esportivo. Apesar de a Honda afirmar que ajustou o câmbio para os 33 cavalos extras do motor, o sistema CVT tira toda a graça do motor de 173 cavalos (mesmo com simulação de trocas de marcha). Além disso, o HR-V Touring é mais pesado e isso prejudica o seu desempenho (mas só para motoristas muito exigentes). Outro detalhe: o volante poderia ter uma empunhadura mais grossa, para combinar com a esportividade do carro.

HONDA HR-V TOURING 1.5 TURBO
Item Conceito

Nota

(1 a 5)

Desempenho muito bom 4
Consumo muito bom 4
Segurança ótimo 5
Conectividade muito bom 4
Conforto bom 3
Pacote de Série muito bom 4
Usabilidade médio 2
Veredicto muito bom 3,7

De qualquer forma, o HR-V Touring não é um esportivo e sim um estradeiro. E nesse ponto ele vai bem (porém, julgamos a usabilidade de um SUV por suas qualidades off road, o que deixa o Honda meio no limbo, com um certo problema de personalidade). Assim, teve apenas 2 pontos em usabilidade porque não tem tração 4x4, seu porta-malas é inferior a 400 litros e o vão livre do solo é de apenas 177 mm.

Quanto à conectividade, que é um item importantíssimo dentro do paradigma atual, o Honda HR-V Touring vai bem. A central multimídia de 7”, desenvolvida no Brasil, e compatível com Android Auto e Apple CarPlay, é excelente. Além disso, o HR-V topo de linha tem navegador por GPS e reconhecimento de voz. Só a posição da entrada USB, escondida sob o console central, continua sendo inaceitável para um carro tão bom. 

A nova central multimídia foi desenvolvida no Brasil.
A nova central multimídia foi desenvolvida no Brasil.
Foto: Divulgação

No final das contas, as melhorias introduzidas no HR-V Touring não o farão voltar à liderança de seu segmento, mas fez um bem para sua imagem. Principalmente porque ele corrige a bobagem que foi o lançamento da versão Touring sem o motor turbo nas linhas 2017 e 2018, que usava o mesmo motor 1.8 aspirado das outras versões.

O que é novo

  • Motor turbo 1.5 flex de 173 cavalos.
  • Acabamento interno em tom cinza claro ou preto.
  • Sensor de chuva.
  • Retrovisor eletrocômico automático.

O que nós gostamos

  • Visual da grade dianteira.
  • Faróis com luzes diurnas de LED e lanternas de LED.
  • Conforto dos bancos.
  • Central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay.
  • Posição de dirigir.
  • Potência extra em relação às outras versões.
  • Ajuste das suspensões.

O que pode melhorar

  • Câmbio CVT.
  • Posição da entrada USB.
  • Empunhadura do volante.

Os números

  • Preço: R$ 139.900
  • Motor: 1.5 turbo
  • Potência máxima: 173 cv a 5.500 rpm
  • Torque máximo: 220 Nm a 1.700 rpm
  • Câmbio: 7 marchas CVT
  • Comprimento: 4,329 m
  • Largura: 1,772 m
  • Altura: 1,586 m
  • Entre-eixos: 2,610 m
  • Vão livre: 177 mm
  • Pneus: 215/55 R17
  • Peso: 1.380 kg
  • Porta-malas: 437 litros
  • Tanque: 51 litros
  • 0-100 km/h: 8s9
  • Velocidade máxima: 210 km/h
  • Consumo cidade: 11,5 km/l
  • Consumo estrada: 14,6 km/l
  • Emissão de CO2: 103 g/km
  • Modelo avaliado: 2020
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade