0

Teste: Ford Ranger XLS 4x4 AT tem o melhor custo-benefício

Versão intermediária da Ranger usa motor 2.2 turbodiesel com 160 cv e se destaca pelo torque de 350 Nm. A suspensão melhorou bastante

2 out 2019
15h16
atualizado em 28/10/2019 às 13h51
  • separator
  • 0
  • comentários

A picape Ford Ranger 2020 tem três configurações para a versão XLS (intermediária):  4x2 AT, 4x4 MT e 4x4 AT. Avaliamos essa última, com tração 4x4 e câmbio automático de seis velocidades. Todas as Ranger XLS usam o motor 2.2 a diesel, com turbocompressor. Abaixo delas ainda existe mais uma versão 2.2, a XL MT, também a diesel. Acima, existem duas versões  já avaliadas pelo Guia do Carro: a XLT (topo de entrada) e a Limited (topo de linha). As duas têm tração 4x4 e câmbio automático, mas o motor turbodiesel é 3.2. Por isso, a Ranger XLS 2.2 Diesel 4x4 AT pode ser considerada a versão com o melhor custo-benefício da linha.

A Ranger XLS é a versão intermediária da picape cabine dupla.
A Ranger XLS é a versão intermediária da picape cabine dupla.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

A principal diferença em relação às duas versões topo de linha está mesmo no motor. Enquanto o 3.2 entrega 200 cv de potência, a XLS 2.2 tem 160 cavalos. Quanto ao torque, a Ranger 3.2 dispõe de 469 Nm e a 2.2 tem 385 Nm. A relação peso/potência entre uma XLS 2.2 e uma XLT 3.2 é de 13,2 kg/cv para a primeira e de 11,7 kg/cv para a segunda, o que tira uma estrela da Ranger XLS em desempenho. Porém, a diferença na relação peso/torque nem é tão grande: 5,5 kg/Nm para a XLS 2.2 e 4,7 kg/Nm para a XLT 3.2. Isso significa que a Ranger XLS 2.2 tem boas arrancadas na utilização em baixa velocidade.

A Ford Ranger XLS 2.2 AT 4x4 é uma picape média três estrelas, segundo os critérios do Guia do Carro.
A Ford Ranger XLS 2.2 AT 4x4 é uma picape média três estrelas, segundo os critérios do Guia do Carro.
Foto: Guia do Carro

Este, aliás, é um dos destaques da Ford Ranger 2020: é um veículo que pode ser usado até mesmo na cidade. Para quem está acostumado com picapes que mais parecem caminhões na dirigibilidade, a Ranger 2020 surpreende por ser bastante amigável no trânsito. A nova suspensão deixou a Ranger mais confortável no rodar, tanto na cidade quanto na estrada. Outra atrativo da Ranger XLS 2.2 é que ela não teve aumento de preço. A 4x4 automática, óbvio, é a mais cara: R$ 154.610. Mas o conforto dessa transmissão vale a pena, pois a diferença para a 4x4 manual é de pouco mais de R$ 7.000. 

Rodando, a Ranger XLS 2.2 AT 4x4 não chega a ser tão silenciosa como as versões 3.2, pois o motor trabalha em regimes maiores em algumas ocasiões. Mas não é nada que incomode. Ela roda normalmente com tração 4x2, mas basta um pequeno giro no botão do console para virar 4x4 ou dois giros para ser 4x4 com reduzida. Para quem enfrenta pisos com lama ou areia, é uma segurança. E mesmo no asfalto liso, na chuva, a tração 4x4 é muito mais segura. Fora que ela já vem com sete airbags. Ao volante da Ranger XLS 2.2 o motorista realmente não tem muito do que reclamar. A posição de dirigir é excelente, o volante é grosso e tem ótima empunhadura, a central multimídia está bem acessível, assim como o quadro de instrumentos é fácil de ler e tem computador de bordo.

A picape Ranger é um modelo tradicional da marca americana.
A picape Ranger é um modelo tradicional da marca americana.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Alguns carros têm muito espaço interno, mas não usa o usa bem. Na Ranger, não. Os porta-objetos são grandes, espalhados e bem localizados. O desenho da cabine é simples, mas não simplório, por isso o bom gosto é notado. Claro que a Ranger XLS 2.2 não tem a sofisticação de um SUV de luxo, mas a proposta é outra, certo? Dentro do que se propõe, a Ranger XLS 2.2 carrega com muito conforto cinco pessoas e dá conta das tarefas obrigatórias. A caçamba tem 1.180 litros e sua capacidade de carga é de 1.084 kg. Graças às modificações feitas no motor, a Ranger é capaz de atravessar riachos ou passar por trechos inundados de até 800 mm de altura. O vão livre do solo é de 232 mm. Até para estacionar ela é boa, pois não é tão larga, por exemplo, como um Porsche Cayenne.

A diferença de preço da Ranger XLS 2.2 para a XLT 3.2 é de quase R$ 22.000. Numa XLS, além do motor maior, o comprador abre mão de itens como bancos e volante de couro, navegador, faróis automáticos, sensor de chuva e outros detalhes eletrônicos de conveniência (mas que na prática não fazem falta), além das rodas de liga leve de 18” (na XLS, são de 17”). Porém, em relação à XL, de entrada, a Ranger XLS traz sete airbags, retrovisores elétricos, piloto automático, câmera de ré e sensor de estacionamento, por exemplo. Por tudo que foi falado, em termos de custo-benefício, consideramos a Ranger XLS 2.2 AT 4x4 a melhor compra dentro da linha 2020.

O interior tem boa posição de dirigir e conectividade fácil de usar, mas podia ser mais completa.
O interior tem boa posição de dirigir e conectividade fácil de usar, mas podia ser mais completa.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O que é novo

  • Ar-condicionado digital dual zone.
  • Central multimídia Sync 3 com tela tátil de 8” e comando de voz.
  • Quadro de instrumentos configurável com duas telas de 4,2”.
  • Novos faróis de neblina.
  • Acabamento aprimorado no painel, portas e console (que é novo).
  • Nova suspensão dianteira.
  • Design dos faróis principais, faróis de neblina e para-choque.
  • Barra de torção na porta da caçamba, reduzindo o peso na hora de abrir e fechar.

O que nós gostamos

  • A nova suspensão ficou ótima.
  • Câmbio automático de seis marchas.
  • O sistema de conectividade Sync 3 é ótimo.
  • Duas entradas USB e ar-condicionado de duas zonas.
  • Posição de dirigir, banco traseiro com três encostos de cabeça e túnel central baixo.
  • Capacidade off road, especialmente na água.

O que pode melhorar

  • A relação peso/potência ficou baixa.
  • Na estrada, ela demora muito para alcançar boa velocidade.
O porte da Ranger é muito bom e ela pode transpor terrenos inundados até 800 ml.
O porte da Ranger é muito bom e ela pode transpor terrenos inundados até 800 ml.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Os números

  • Preço: R$ 156.610
  • Motor: 2.2 turbodiesel
  • Potência máxima: 160 cv
  • Torque máximo: 385 Nm
  • Câmbio: 6 marchas AT
  • Comprimento: 5,354 m
  • Largura: 1,860 m
  • Altura: 1,821 m
  • Entre-eixos: 3,220 m
  • Vão livre: 232 mm
  • Peso: 2.116 kg
  • Pneus: 265/65 R17
  • Caçamba: 1.180 litros
  • Capacidade de carga: 1.084 kg
  • Tanque: 80 litros
  • 0-100 km/h: 15s0
  • Velocidade máxima: 164 km/h
  • Consumo cidade: 8,4 km/l
  • Consumo estrada: 10,4 km/l
  • Emissão de CO2: 218 g/km
  • Modelo avaliado: 2020

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade