0

Novo March inaugura 1ª fábrica própria da Nissan no Brasil

Localizada em Resende (RJ), a nova unidade terá capacidade máxima para cerca de 200 mil carros por ano

15 abr 2014
11h52
atualizado às 13h19
  • separator
  • 0
  • comentários

A Nissan inaugurou nesta terça-feira sua primeira fábrica própria no Brasil - até então, os modelos Frontier e Livina eram feitos em parceria com a Renault no Paraná. Localizada em Resende (RJ), a nova unidade terá capacidade máxima para cerca de 200 mil carros por ano, mas nesta primeira fase o teto será de 60 mil. O primeiro modelo a sair da linha de montagem é o New March, que estará disponível nos próximos meses nas concessionárias, com motor 1.6 litros 16V produzido no mesmo lugar.

<p>New March passa a ser feito no Rio de Janeiro</p>
New March passa a ser feito no Rio de Janeiro
Foto: Peter Fussy / Terra

De acordo com Murilo Moreno, diretor de marketing para o Brasil, a novidade não irá aposentar o irmão mais velho. A intenção da fabricante japonesa é manter os dois veículos no mercado, sendo o "antigo" um modelo de entrada para concorrer com os subcompactos Fiat Uno e Volkswagen Up!. Já a versão moderna irá bater de frente com Chevrolet Onix e Hyundai HB20. Uma primeira "fornada" do New March já saiu para a inspeção dos japoneses, que é parte do procedimento para o início efetivo da produção comercial.

A mesma linha de montagem em Resende produzirá também o novo Versa, mas a empresa ainda não confirma quando será. Segundo Moreno, a unidade também está preparada para fazer modelos futuros sobre a mesma plataforma do March. "Cada plataforma é pensada para ter até cinco derivações", afirmou o executivo. A nacionalização dos componentes já é 60% e deve atingit 80% em dois anos.

Depois de um 2013 complicado, com déficit de 30 mil carros a menos que em 2012 por causa das cotas de importação, a Nissan espera ganhar fatia de mercado neste ano com a produção local do March e do Versa. Para isto acontecer, houve investimento de cerca de R$ 2,6 bilhões. A meta da empresa é mais que dobrar o market share, para 5% das vendas do mercado nacional até 2016.

"Desde o lançamento do projeto em 2012, acompanhei tudo. Toda a América Latina representa um mercado de cerca de 400 milhões de habitantes. Viemos para ficar e nos tornar uma marca forte", afirmou o CEO global da Nissan, Carlos Ghosn, que apertou o botão simbólico que dá inicio às operações da nova fábrica.

O jornalista viajou a convite da Nissan do Brasil.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade