2 eventos ao vivo

De portas de ouro a quadro de Picasso; como são os jatos milionários

Com 30 anos de carreira e cerca de 800 aviões fotografados, Nick Gleis já viu adereços "incríveis" em aeronaves com preços exorbitantes

31 mar 2013
09h00
atualizado em 2/4/2013 às 11h24
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Com 30 anos de carreira e cerca de 800 aviões fotografados, Nick Gleis já viu adereços "incríveis" em aeronaves com preços exorbitantes. O fotógrafo especializado em fazer imagens dessas máquinas conta que já se deparou com aviões decorados com portas de ouro e quadros de pintores famosos como Pablo Picasso e Pierre-Auguste Renoir.

Pias de ouro, obras de arte, talheres de grife, escritório e quarto para convidados dentro de uma aeronave fazem parte do portfólio de Gleis, que reúne seus trabalhos em um site particular e que começou "por acaso" a registar imagens de aviões e diz não ser "um grande fã" desses jatos. "Passei horas demais nos céus e em aviões que preciso fotografar", disse em entrevista ao Terra. Ainda assim, Gleis diz que, se tivesse dinheiro, optaria por alugar um Boeing BBJ ou um Airbus A319. Confira a entrevista:

Qual a aeronave mais cara que você já fotografou? Qual o modelo e quanto vale?
Embora eu tenha fotografado alguns Boeing 747-400, há um que se sobressai na comparação com todos os outros. O avião veio da Boeing sem nenhum acabamento interior e custava cerca de US$ 200 milhões. A parte interior da aeronave poderia ser instalada em 24 meses – e custaria um valor adicional de US$ 150 milhões. Essa aeronave particular tinha um escritório grande, um teto com uma abóbada de ouro, um cobertor feito de pele de chinchila que valia US$ 150 mil, um banheiro principal com chuveiro, um quarto para convidados, um salão grande com área para jantar e uma galeria enorme com pias de ouro e itens como louças, cristais e talheres produzidos pela (grife) Baccarat. O tapete colocado no corredor principal era feito de seda tecida à mão.

Quem são seus clientes mais assíduos? Realeza, celebridades, empreendedores, executivos? E de onde eles são?
Há diversas categorias de clientes e aeronaves. Aviões menores, como o Gulfstream, o Falcon Jet e o Bombardier, costumam ser comprados por clientes dos Estados Unidos, que incluem companhias de leasing, fabricantes de equipamentos originais e centros de conclusão (que fazem a instalação dos interiores das aeronaves). Aviões de grande porte, como o Boeing e o Airbus, são vendidos, principalmente, para consumidores do Oriente Médio, que também envolvem centros de conclusão e empresas de design. Em geral, os compradores de aeronaves raramente solicitam meus serviços diretamente. Geralmente, a empresa que administra aviões, o centro de conclusão de aeronaves  ou os designers são meus clientes diretos.

Por que as pessoas o contratam? O que eles fazem com todas as fotografias e álbuns que você produz, já que a maioria dos donos dos aviões tenta ser discreta quanto a suas posses?
Geralmente, fotógrafos são chamados para fazer a documentação histórica ou trabalhos relacionados a compras promocionais. Em outros casos, as imagens e álbuns são apresentadas a designers e centros de conclusão de aviões para registar o trabalho que eles fizeram. No caso de aviões pequenos, as empresas de leasing usam as fotografias para mostrar a seus potenciais clientes o que há disponível no mercado.

Como você programa a sessão de fotos? Já fotografou durante voos?
Os clientes me contatam e nós discutimos as necessidades deles e o calendário para fazermos as imagens. É importante sabermos para quê eles querem as fotografias para podermos customizar o trabalho. Por exemplo, se o avião é uma aeronave que visa o mercado do Oriente Médio - principalmente focando em clientes islâmicos -, eu nunca permitiria que utilizássemos adereços como bebidas alcoólicas ou alimentos proibidos no momento de fotografar. Faço todo meu trabalho enquanto a aeronave está em solo, inclusive fotos em voo – que são criadas digitalmente durante um processo de pós-produção. É muito menos custoso fazer desta forma. Quando eu costumava fazer fotos com o avião em operação, facilmente o custo ao cliente ficava na casa dos US$ 20 mil a US$ 30 mil.

Você já teve alguma vez a oportunidade de voar nos aviões que fotografa e aproveitar um pouco do luxo que eles oferecem?
Ocasionalmente, eu voo nestas aeronaves. No entanto, nunca sou considerado um convidado de honra e, em condições normais, a aeronave estaria vazia, contando apenas com a tripulação e comigo. Apenas em algumas vezes – dá para contar nas mãos – fui convidado a voar sozinho pelo dono do modelo.

Considera-se um amante de aviões? Você é um piloto? Por que se especializou neste tipo de fotografia?
Embora tenha passado cerca de 30 anos na indústria aeronáutica, não sou um grande fã de aviões. Eu passei horas demais nos céus e em aviões que eu preciso fotografar. Só de vez em quando eu passo um tempinho como copiloto quando o piloto é um amigo próximo e a tripulação e eu estamos a bordo. No entanto, eu não sou piloto e não desejo me tornar um. Como muitas coisas na vida, apenas ocorreu (a profissão) por acaso quando eu tive a oportunidade, muitos anos atrás, de fotografar uma aeronave – e como o dinheiro era bom e não havia muita competição, eu continuei fazendo isso. Infelizmente, esses dias se foram. Hoje, se os clientes têm um smartphone com uma câmera, eles acreditam que não há razão para contratar um fotógrafo qualificado. Desnecessário dizer que pouquíssimas pessoas podem capturar neste tipo de fotografia o ambiente em que estão. Isso resultou em menos e menores trabalhos. A maioria dos meus projetos hoje envolve aviões de grande porte, que são mais complexos em todos os sentidos.

Quais coisas mais excêntricas você já viu em uma aeronave de luxo?
Já vi portas de ouro, mesas e cadeiras adornadas com pele de enguia, cadeiras e sofás feitos de pele de corça, marcenaria requintada com as melhores madeiras e pinturas de Renoir, Chagall e Picasso.

Você tem um avião ou gostaria de ter? Por que?
Se eu tivesse um avião, teria de ter muito dinheiro, eu gostaria de ter um com corredor único, como o Boeing BBJ ou o Airbus A319. Mas a manutenção desses aviões, sozinha, me custaria cerca de US$ 2,5 milhões em um ano – e isso se o avião apenas ficasse em solo. Voando, o custo de manter um avião assim pode chegar a cerca de US$ 7.500 por hora, incluindo a tripulação. Para dizer a verdade, ao menos que alguém me compre um avião de Natal, acho que passo. Pessoalmente, preferiria alugar um avião quando necessário do que comprá-lo.

Veja também:

Amazon atrasa Black Friday para não prejudicar lojas menores
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade