1 evento ao vivo

Canadá ajudará siderúrgicas e trabalhadores impactados por tarifas dos EUA, diz fonte

28 jun 2018
18h49
  • separator
  • 0
  • comentários

O Canadá reagirá contra as tarifas norte-americanas de importação de aço e alumínio, oferecendo as empresas e trabalhadores afetados auxílio de até 800 milhões de dólares canadenses (603 milhões de dólares), disse uma fonte familiarizada com o assunto nesta quinta-feira.

A ministra das Relações Exteriores, Chrystia Freeland, fará um anúncio no polo siderúrgico de Hamilton na sexta-feira.

A fonte disse que Freeland anunciará a ajuda e revelará uma lista de produtos norte-americanos que o Canadá pretende sujeitar a tarifas de retaliação.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, impôs tarifas de importação de aço e alumínio no mês passado, citando razões de segurança nacional. A medida atingiu uma das relações comerciais mais importantes do mundo e azedou os laços entre Ottawa e Washington.

A fonte disse que a assistência - a ser distribuída ao longo de vários anos - seria semelhante a um pacote de cinco anos de 867 milhões de dólares oferecido aos produtores canadenses de madeira em 2017, depois que Washington impôs tarifas.

Isso tomou a forma de empréstimos, garantias de empréstimos, financiamento comercial e apoio para ajudar as empresas a expandir mercados no exterior. Também incluiu dinheiro para ajudar os trabalhadores afetados a aprender novas habilidades e fornecer apoio para acordos de compartilhamento de trabalho.

A fonte não informou quais empresas de aço e alumínio estariam na fila para receber o benefício. Entre as empresas com operações no Canadá estão a Evraz, Rio Tinto, Algoma Acquisition, Essar Steel Algoma, ArcelorMittal, Gerdau e Alcoa.

O Canadá prometeu reagir impondo tarifas retaliatórias de 16,6 bilhões de dólares sobre exportações norte-americanas, e Freeland deve indicar exatamente quais mercadorias serão afetadas, disse a fonte.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade