0

Bolsas europeias sobem com indícios de recuperação industrial da China

1 abr 2019
07h48
  • separator
  • comentários

As bolsas europeias operam em alta nesta manhã, impulsionadas por dados que mostram recuperação da indústria chinesa e também sustentadas por expectativas de que Estados Unidos e China consigam superar sua rixa comercial.

Dados publicados no fim de semana mostraram que o segmento industrial da China, segunda maior economia do mundo, voltou a se expandir. Em março, os índices de gerentes de compras (PMIs) oficial e não oficial se recuperaram para níveis acima da barreira de 50 que separa contração de expansão.

Diante do bom desempenho dos PMIs industriais chineses, ficou em segundo plano o PMI equivalente da zona do euro, que caiu de 49,3 em fevereiro para 47,5 em março, apontando que a manufatura do bloco se contraiu pelo segundo mês consecutivo.

No Reino Unido, por outro lado, o PMI industrial teve alta inesperada a 55,1 em março, atingindo o maior nível em 13 meses e dando força à libra esterlina, que vem sendo pressionada pelos contratempos do Brexit, como é conhecido o intrincado processo para que os britânicos se retirem da União Europeia.

Na sexta-feira (29), o Parlamento britânico rejeitou pela terceira vez um acordo de Brexit fechado pela primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, com a UE. Hoje, os legisladores vão votar em alternativas ao Brexit.

Outro indicador europeu relevante divulgado mais cedo foi a inflação ao consumidor da zona do euro, cuja taxa anual desacelerou de 1,5% em fevereiro para 1,4% em março, segundo pesquisa preliminar. O resultado mostrou que a inflação na região se afastou mais da meta do Banco Central Europeu (BCE), que é de uma taxa ligeiramente inferior a 2%.

O índice do segmento de recursos básicos é destaque na Europa, com alta de quase 3%, e montadoras também subiam, após relatos de que Fiat Chrysler e o Grupo PSA estudam formas de cooperação no continente europeu. Em Milão, a ação da Fiat avançava quase 1%.

Investidores também mantêm otimismo de que EUA e China conseguirão eventualmente chegar a um acordo comercial a ser submetido aos presidentes Donald Trump e Xi Jinping. Autoridades de alto escalão dos dois países se reuniram no fim da semana passada, em Pequim, e darão continuidade ao diálogo comercial nesta semana, em Washington.

Às 7h33 (de Brasília), a Bolsa de Londres avançava 0,59%, a de Frankfurt, 1,09%, e a de Paris, 0,52%. Em Milão, Madri e Lisboa, os ganhos eram de 0,40%, 0,44% e 0,41%, respectivamente. No mercado de câmbio, a libra se fortalecia a US$ 1,3098, de US$ 1,3019 no fim da tarde de sexta-feira (29), e o euro seguia a mesma direção, cotado a US$ 1,1236, ante US$ 1,1223 na sexta. Com informações da Dow Jones Newswires.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade