2 eventos ao vivo

Bolsas dos EUA fecham em queda com nervosismo econômico e comercial

2 dez 2019
18h25
atualizado às 19h21
  • separator
  • 0
  • comentários

Os principais índices de ações dos Estados Unidos fecharam em queda nesta segunda-feira, se afastando de recordes da semana passada, com fracos dados de atividade manufatureira nos EUA e renovadas preocupações comerciais mantendo os compradores de lado.

Operadores trabalham na Bolsa de Nova York, EUA
27/11/2019
REUTERS/Brendan McDermid
Operadores trabalham na Bolsa de Nova York, EUA 27/11/2019 REUTERS/Brendan McDermid
Foto: Reuters

O Dow Jones caiu 0,95%, para 27.784,06 pontos. O S&P 500 perdeu 0,86%, para 3.113,98 pontos. E o Nasdaq Composto recuou 1,12%, a 8.567,99 pontos.

Um relatório do Instituto de Gestão do Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) mostrou que a atividade manufatureira dos EUA contraiu em novembro pelo quarto mês consecutivo, alimentando preocupações de que o mais longo período de expansão econômica na história norte-americana possa estar perdendo força.

"Os dados manufatureiros mais fracos do que o previsto não ajudam", disse Oliver Pursche, estrategista-chefe de mercado da Bruderman Asset Management em Nova York. "É provável que essa tendência continue no curto prazo".

"A questão é se os consumidores continuarão mantendo a economia em alta", acrescentou Pursche. "E, até agora, os dados preliminares sobre os gastos da Black Friday são muito positivos. É um grande número."

Espera-se que as vendas da "Cyber Monday" batam recorde após os 11,6 bilhões de dólares em vendas online no Dia de Ação de Graças e na Black Friday.

Mais cedo na sessão, o presidente dos EUA, Donald Trump, escreveu no Twitter que restauraria as tarifas do aço e alumínio importado do Brasil e da Argentina. A notícia impulsionou ações das siderúrgicas norte-americanas U.S. Steel Corp e AK Steel Holding Corp em 4,2% e 4,7%, respectivamente.

Foi o mais recente sinal de que as relações comerciais entre EUA e seus parceiros comerciais globais continuará a dominar os mercados e afetar o crescimento econômico mundial.

Uma assessora sênior do presidente norte-americano, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que um acordo comercial entre Estados Unidos e China ainda é possível antes do final do ano, acrescentando que a primeira fase do acordo está sendo passada para o papel.

Dos 11 principais setores do S&P 500, apenas os de consumo básico e energia encerraram a sessão em território positivo.

A queda dos mercados de ações nesta sessão dos EUA levou ao menos um grande investidor a pagar 31 milhões de dólares para comprar opções de ações para proteção contra um recuo maior das ações no início do próximo ano.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade