PUBLICIDADE

Bolsas da Ásia fecham na maioria em baixa, com foco em aperto monetário nos EUA

18 jan 2022 07h28
ver comentários
Publicidade

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira, à medida que investidores voltam a focar a perspectiva de aperto monetário nos EUA. Por outro lado, o Banco do Japão (BoJ) não apenas reafirmou sua política ultra-acomodatícia, como descartou a possibilidade de aumentar juros antes de que a inflação convirja para sua meta oficial de 2%.

O índice japonês Nikkei caiu 0,27% em Tóquio hoje, a 28.257,25 pontos, enquanto o Hang Seng recuou 0,43% em Hong Kong, a 24.112,78 pontos, o sul-coreano Kospi cedeu 0,89% em Seul, a 2.864,24 pontos, e o Taiex registrou perda de 0,79% em Taiwan, a 18.378,64 pontos.

Principal índice chinês, o Xangai Composto foi exceção na Ásia, com alta de 0,80%, a 3.569,91 pontos, mas o menos abrangente Shenzhen Composto se desvalorizou 0,33%, a 2.464,83 pontos.

Com a reabertura dos mercados financeiros nos EUA, que ontem não operaram devido ao feriado de Martin Luther King, a perspectiva de aumento dos juros americanos volta para o radar.

O Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) vem sugerindo que deverá anunciar sua primeira elevação de juros em março, diante da persistência da inflação alta e à medida que o mercado de trabalho segue se recuperando dos impactos da pandemia de covid-19.

O Japão, por sua vez, segue apostando em agressivas medidas de estímulo monetário. No começo da madrugada, o BoJ manteve sua política inalterada e revisou levemente para cima suas projeções de inflação para os próximos anos fiscais. Já o presidente do BC japonês, Haruhiko Kuroda, disse em coletiva de imprensa que a instituição não elevará juros antes que a inflação doméstica atinja sua meta de 2% "de maneira estável".

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o viés negativo da Ásia, e o S&P/ASX 200 caiu 0,11% em Sydney, a 7.408,80 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Estadão
Publicidade
Publicidade