0

Bolsas asiáticas sobem com melhor perspectiva para relação comercial EUA-China

18 jan 2019
06h11
  • separator
  • 1
  • comentários

As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta sexta-feira, reagindo a relatos de que os Estados Unidos estariam considerando a possibilidade de aliviar tarifas sobre a China, de modo a garantir que as negociações entre as duas maiores economias do mundo avancem.

O Wall Street Journal noticiou ontem que o Secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, propôs suspender algumas ou todas as tarifas adicionais impostas a importações chinesas no ano passado, numa tentativa de persuadir Pequim a fazer concessões maiores no diálogo comercial com Washington. Segundo o WSJ, porém, o representante do Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, teria resistido à ideia por temer que ela fosse vista como sinal de fraqueza.

A notícia, de qualquer forma, foi suficiente para estimular o apetite por risco na Ásia.

Entre os mercados chineses, o índice Xangai Composto subiu 1,42% hoje, a 2.596,01 pontos, impulsionado por ações dos setores financeiro e imobiliário, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,99%, a 1.322,14 pontos.

Já o Nikkei registrou alta de 1,29% em Tóquio, a 20.666,07 pontos, também favorecido pelo enfraquecimento do iene em relação ao dólar diante do otimismo com as discussões comerciais entre EUA e China. Na próxima quarta-feira (23), o Banco do Japão anuncia decisão de política monetária.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi avançou 0,82% em Seul, a 2.124,28 pontos, e o Taiex subiu 0,48% em Taiwan, a 9.836,06 pontos. Pouco antes do fechamento da Bolsa de Hong Kong, o Hang Seng tinha valorização de cerca de 1,1%.

Ao longo da semana, o Xangai Composto acumulou ganhos de 2,45%, o Nikkei, de 1,50%, o Kospi, de 2,40%, e o Taiex, de 0,80%.

Na Oceania, a bolsa australiana foi impulsionada por ações ligadas a commodities e o S&P/ASX 200 subiu 0,50% em Sydney, a 5.879,60 pontos, terminando a semana com avanço de 1,8%. Com informações da Dow Jones Newswires.

Estadão
  • separator
  • 1
  • comentários
publicidade