PUBLICIDADE

Desafios da Black Friday: como o Pix afetará as entregas 

Antes essas empresas teriam alguns dias para separar e providenciar o envio de produtos comprados por boletos. O Pix mudou isso.

25 nov 2021 07h00
ver comentários
Publicidade
O planejamento é o divisor de águas de quem vai ter uma boa Black Friday
O planejamento é o divisor de águas de quem vai ter uma boa Black Friday
Foto: Instagram / Reprodução

Nós já nos acostumamos com o processo de funcionamento da Black Friday, que hoje faz parte do calendário brasileiro como uma das mais importantes datas para o comércio. Todo ano, esse período proporciona um pico de vendas e entregas, onde muitas vezes, um único dia representa um faturamento até 6 vezes maior do que um dia normal, ou seja, é uma correria para quem vende, mas principalmente para quem entrega. 

Neste ano em especial, temos uma novidade: o imediatismo do Pix. As vantagens dele são inúmeras, mas é preciso estar atento ao fato de que, em larga escala, ele pode ser um grande desafio para empresas que não se prepararam bem e não realizaram um planejamento logístico para a Black Friday. 

A questão é que antes essas empresas teriam alguns dias para separar e providenciar o envio de produtos comprados por boletos, hoje o meio de pagamento instantâneo exige que elas operem mais rápido e melhorem seus processos logísticos. 

Agora que o Pix já caiu na graça dos brasileiros, a quantidade de pedidos com este meio de pagamento deve aumentar consideravelmente, principalmente em um período como a Black Friday. O grande ponto positivo nisso tudo, é que estamos cada vez mais vendo a “data” se alongar para “Novembro Black”, “Semana Black”, que devem diluir as vendas de um único dia em um período maior o que é muito bom para a operação, de maneira geral. 

Neste ano enxergo três principais desafios: 

- Tecnologia para conectar todos os canais: com o desenvolvimento e amadurecimento do omnichannel, o investimento em tecnologia de gestão logística e a digitalização das operações já é uma realidade. Para quem se atentou a esse movimento e se preparou com antecipação, com certeza terá bons resultados, agora, para quem não se preparou e quer surfar a onda, a Black Friday será bastante desafiadora.

- Crescimento do Frete Grátis: de acordo com o último levantamento da Intelipost, somente no primeiro semestre de 2021 foi observado um aumento de 40% na oferta de frete grátis e uma redução dos prazos de entrega. O que demonstra que essa estratégia, que já foi muito utilizada no início do e-commerce Brasileiro e tornou-se insustentável, voltou a ser cada vez mais utilizada em todas as categorias de produtos, principalmente para reduzir o abandono de carrinho e atrair novos consumidores por meio de campanhas de frete mais estratégicas. 

Na Black Friday do ano passado o aumento da oferta de envio gratuito foi de 27% em relação a 2019. Neste ponto, é importante que os lojistas tenham os custos de frete sob controle para poder oferecer o que o mercado demanda sem prejudicar as receitas. 

- Fidelização do cliente através de uma boa experiência de compra: aqui estamos falando de um aumento expressivo no volume de vendas, sem perder a qualidade no atendimento e na experiência oferecida ao consumidor. Oferecer uma boa experiência é uma ótima estratégia de fidelização, que rende resultados contínuos e é muito mais “fácil” do que atrair e conquistar novos consumidores. Por isso temos visto investimentos neste aspecto cada vez maiores e servindo de tendência para o comércio eletrônico.

O planejamento, ou a falta de, é o divisor de águas de quem vai ter uma boa Black Friday e de quem deve ter que apagar alguns incêndios ao longo do caminho. Você vai só colher os frutos ou precisar de um hidrante este ano? 

(*) Gabriel Drummond é cofundador e COO da Intelipost, logtech em tecnologia para gestão logística no Brasil.

Homework Homework
Publicidade
Publicidade