PUBLICIDADE

BC britânico estabelece planos para retirar estímulos da economia do Reino Unido

5 ago 2021 08h44
| atualizado às 11h32
ver comentários
Publicidade

O banco central britânico definiu como aliviará o enorme apoio fornecido durante a pandemia de Covid-19 à economia e disse que um aperto "modesto" da política monetária está à frente, mas manteve seu estímulo em um ritmo veloz apesar do salto na inflação.

Pedestre caminha em frente ao Banco da Inglaterra, em Londres
29/07/2021
REUTERS/Henry Nicholls
Pedestre caminha em frente ao Banco da Inglaterra, em Londres 29/07/2021 REUTERS/Henry Nicholls
Foto: Reuters

Apenas uma das oito autoridades de política monetária do banco central, Michael Saunders, votou para reduzir o volume de seu programa de compra de títulos.

A votação para manter a taxa básica de juros na mínima histórica de 0,1% foi unânime, conforme o esperado.

Com mais de 70% dos adultos no Reino Unido agora totalmente vacinados contra a Covid-19 e a maioria das regras de distanciamento social suspensas, a economia britânica recuperou muito de sua queda de 10% em 2020, levando o banco central a explicar como planeja controlar seu estímulo quando chegar a hora.

O Banco da Inglaterra disse que começará a reduzir seu estoque de títulos quando sua taxa básica de juros chegar a 0,5%, desde que isso faça sentido para a economia.

O banco, então, considerará vender ativamente sua carteira quando os juros atingirem pelo menos 1%.

A orientação anterior, de junho de 2018, dizia que o banco não começaria a desfazer as compras de títulos até que a taxa de juros estivesse perto de 1,5%.

O presidente do banco central britânico, Andrew Bailey, disse que muita coisa mudou nos últimos três anos e "se mantivéssemos em 1,5%, quando você olha a curva do mercado, isso seria o mesmo que dizer que nunca reduziríamos o balanço patrimonial conforme as coisas estão hoje."

O Comitê de Política Monetária do Banco da Inglaterra disse que "algum aperto modesto da política monetária ao longo do período de previsão provavelmente será necessário" durante seu intervalo de projeção de três anos.

As autoridades do Federal Reserve também estão mostrando sinais de divisão sobre com que rapidez o banco central dos Estados Unidos poderia precisar reduzir seu plano de afrouxamento quantitativo.

Bailey enfatizou que o banco central britânico não hesitará em agir caso as perspectivas para a inflação estejam ameaçadas.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade