Bancos deixaram de fazer transações com papéis da PDVSA após sanções dos EUA

29 jan 2019
13h26
  • separator
  • 0
  • comentários

Grandes bancos pararam de negociar os títulos da petrolífera estatal venezuelana PDVSA após os Estados Unidos imporem amplas sanções à empresa, de acordo com gerentes de fundos.

Caracas, Venezuela 28/01/2019. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
Caracas, Venezuela 28/01/2019. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
Foto: Reuters

    Os movimentos de Washington devem aumentar a pressão sobre o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e efetivamente impedir investidores que operam nos EUA de comprar títulos PDVSA.

    "A maioria das corretoras está impedida de negociar papéis da PDVSA agora", disse David Nietlispach, da Pala Asset Management, adicionando que os sistemas de negociação mostram praticamente nenhum preço para a dívida da PDVSA, em comparação com pelo menos 20 que estavam disponíveis normalmente.

    Um porta-voz do Barclays, um dos grandes bancos europeus que teria suspendido negociações com ativos da PDVSA, não pôde confirmar imediatamente se seu escritório de renda fixa informou aos clientes da decisão.

    Peter Kisler, gerente de portfólio de mercados emergentes da North Asset Manager, acrescentou que a maioria dos bancos parou de operar com os papéis para dar tempo aos departamentos de compliance para examinar os detalhes das sanções dos EUA.

    Um gestor de fundos de um grande banco que pediu anonimato acrescentou: "pedimos (cotações) para ver onde o mercado está abrindo e tudo o que estamos ouvindo em uníssono é que não estamos autorizados a negociá-los até novo aviso".

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade