3 eventos ao vivo

Atividade manufatureira nos EUA volta a contrair, reduzindo otimismo com economia

2 dez 2019
18h03
atualizado às 18h06
  • separator
  • 0
  • comentários

A atividade fabril dos Estados Unidos recuou pelo quarto mês consecutivo em novembro, quando os novos pedidos atingiram em torno do nível mais baixo desde 2012, enquanto os gastos com construção diminuíram em outubro, reduzindo o otimismo em relação à economia que havia sido alimentado por uma recente divulgação de dados positivos.

Motores chegam à linha de montagem da fábrica da General Motors (GM) em Spring Hill, Tennessee, EUA. 22/08/2019. REUTERS/Harrison McClary
Motores chegam à linha de montagem da fábrica da General Motors (GM) em Spring Hill, Tennessee, EUA. 22/08/2019. REUTERS/Harrison McClary
Foto: Reuters

Os números divulgados nesta segunda-feira levaram o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de Atlanta a reduzir sua estimativa de Produto Interno Bruto (PIB) para o quarto trimestre.

O Instituto de Gestão do Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) informou que seu índice de atividade fabril nacional retraiu 0,2 ponto, para uma leitura de 48,1 no mês passado. Uma leitura abaixo de 50 indica contração no setor manufatureiro, responsável por 11% da economia norte-americana. Economistas consultados pela Reuters previam que o índice subisse para 49,2 em novembro, ante 48,3 no mês anterior.

Embora o ISM tenha mostrado que a confiança empresarial melhorou em relação a outubro, provavelmente em razão de EUA e China avançarem para um acordo comercial parcial, a leitura de novembro marcou o quarto mês consecutivo em que o índice permaneceu abaixo da marca de 50 pontos.

"Não há nada neste relatório que indique o fundo para o setor manufatureiro doméstico e o declínio nos novos pedidos", disse Andrew Hollenhorst, economista do Citigroup em Nova York.

Uma pesquisa separada do IHS Markit mostrou a atividade manufatureira e os novos pedidos se expandindo em novembro. Ainda assim, a forte contração na medida do ISM para novos pedidos no mês passado representa um grande obstáculo para qualquer recuperação do segmento manufatureiro.

O recuo da atividade no setor nos Estados Unidos contrariou tendências na zona do euro e na China, onde a atividade fabril pareceu se estabilizar em novembro.

"Esperamos que a incerteza da política comercial continue pesando na atividade manufatureira até o novo ano. A demanda externa e doméstica mais lenta também restringirá o avanço da manufatura", disse Oren Klachkin, economista-chefe da Oxford Economics em Nova York.

Após os relatórios negativos, o Fed de Atlanta cortou sua estimativa de crescimento do PIB no quarto trimestre para uma taxa anualizada de 1,3%, ante estimativa anterior de 1,7%. A economia cresceu a uma taxa de 2,1% no terceiro trimestre.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade