3 eventos ao vivo

Argentina pode adiar oferta formal de reestruturação de títulos até semana que vem

14 ago 2020
14h41
atualizado às 15h14
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Argentina pode prorrogar o prazo de sua proposta de reestruturação de títulos para além de 24 de agosto e apresentar sua oferta alterada ao regulador de valores mobiliários dos Estados Unidos na próxima semana, disse à Reuters uma fonte com conhecimento direto da situação.

Fachada do Ministério da Economia da Argentina, em Buenos Aires 
18/06/2014
REUTERS/Enrique Marcarian
Fachada do Ministério da Economia da Argentina, em Buenos Aires 18/06/2014 REUTERS/Enrique Marcarian
Foto: Reuters

Os detentores de títulos terão 10 dias para decidir sobre a oferta após sua apresentação. O prazo atual para aceitar o acordo é até 24 de agosto. Esse cronograma implica que o governo emitiria um decreto formalizando a oferta e registrando na Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos nesta sexta-feira.

"O decreto vai bem, mas pode não ser finalizado hoje. O próximo dia útil é terça-feira. O prazo de 10 dias será cumprido e em nenhum caso a prorrogação do prazo da oferta irá além de agosto", disse a fonte, que tem conhecimento do pensamento do governo e pediu para não ser identificada pois o processo é confidencial.

Nesse cenário, o último dia para apresentar a oferta seria 21 de agosto. O Ministério da Economia não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários.

A Argentina e seus principais grupos credores chegaram a um acordo em princípio em 4 de agosto para reestruturar cerca de 65 bilhões de dólares em títulos soberanos após meses de negociações, quebrando um impasse sobre termos que ameaçava inviabilizar a negociação.

Veja também:

Limitar pagamentos de precatórios garante R$ 40 bilhões a novo programa social do governo
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade