PUBLICIDADE

Análise-Mercado do petróleo enfrenta estrada sinuosa com desgaste de amortecedores de choque

27 jan 2022 16h33
ver comentários
Publicidade

Um aumento na produção de petróleo dos países produtores que lucram com petróleo caro reduziu a reserva de capacidade ociosa que protege o mercado de choques repentinos e aumentou o risco de aumentos de preços ou até escassez de combustível.

Alguns analistas disseram que até o meio do ano a capacidade não utilizada pode estar tão reduzida quanto em 2008, quando os contratos futuros internacionais de petróleo atingiram seu recorde histórico acima de 147 dólares o barril.

Normalmente, os maiores produtores, incluindo a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, têm capacidade que podem aproveitar com relativa rapidez para adicionar petróleo extra e acalmar a volatilidade dos preços caso uma guerra ou um desastre natural cause uma queda repentina na oferta.

Sem essa flexibilidade, os consumidores podem ficar expostos a choques de preços e escassez de combustível.

Na semana passada, a Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) disse que a capacidade ociosa poderia cair pela metade para 2,6 milhões de barris por dia (bpd) no segundo semestre do ano.

"Se a demanda continuar a crescer fortemente ou a oferta decepcionar, o baixo nível de estoques e a redução da capacidade ociosa significam que os mercados de petróleo podem enfrentar outro ano volátil em 2022", disse a IEA.

A agência define a capacidade ociosa como a produção que pode ser aproveitada em 90 dias e sustentada por um período prolongado, enquanto a Administração de Informação de Energia (AIE) a considera como o volume que pode ser alcançado em 30 dias e sustentado por pelo menos 90 dias.

A AIE prevê capacidade ociosa em média de 3,9 milhões de bpd em 2022, ou 3,9% da demanda global, acima da média de 2012-2021, e diz que isso "será mais do que suficiente para atender à demanda adicional, mesmo que o consumo exceda nossa expectativa".

Vários analistas, no entanto, dizem que a capacidade ociosa detida pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) é muito menor do que os números da IEA e a AIE, que dizem subestimar a taxa natural de declínio em alguns dos campos petrolíferos dos produtores

O Goldman Sachs espera que a capacidade ociosa da Opep+ caia para 1,2 milhão de bpd no verão do hemisfério norte, quando a temporada verão nos EUA aumentará a demanda.

O banco vê níveis este ano em cerca de 2% do tamanho do mercado de petróleo, semelhante a 2008, quando o petróleo Brent atingiu um recorde de 147 dólares o barril, impulsionado pelo 'boom' do consumo chinês.

Se essas previsões estiverem corretas, uma paralisação da produção na Líbia, membro da Opep, por exemplo, pode ser suficiente para usar toda a capacidade ociosa. Nos últimos anos, a agitação na Líbia reduziu sua produção em 1 milhão de bpd por longos períodos de tempo. Por enquanto, sua produção é de cerca de 1,2 milhão de bpd, em comparação com uma máxima pré-2011 de 1,6 milhão de bpd.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade