PUBLICIDADE

5 maneiras de impulsionar a diversidade nas startups

Especialista sugere estratégias para que a seleção de candidatos não seja pautada em estereótipos e discriminação.

19 jan 2022 07h30
| atualizado em 20/1/2022 às 15h49
ver comentários
Publicidade
Cammila Yochabell aponta ações para aumentar a diversidade em startups
Cammila Yochabell aponta ações para aumentar a diversidade em startups
Foto: Jobecam / Divulgação

Ajudar a promover seleções e recrutamentos plurais é promessa da Jobecam, empresa do setor de recrutamento, seleção e D&I, que torna os processos seletivos mais diversos, acessíveis e eficientes por meio da tecnologia de vídeo e entrevistas às cegas. 

Na outra ponta, empresas que aplicam as ferramentas da HRTech ganham um ambiente mais saudável, heterogêneo e sem discriminações por questões de gênero, raça, classe e faixa etária. 

Esse escopo de trabalho resultou na conquista do Selo de Direitos Humanos e Diversidade, concedido pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo (SMDHC). 

Fundadora e CEO da Jobecam, Cammila Yochabell aponta cinco ações para aumentar a diversidade em startups:  

1. Elimine o viés de percepção no processo de recrutamento e seleção

Muitas vezes, mesmo sem ser percebido, o viés inconsciente está presente na maioria das pessoas avaliadoras, como uma ideia estereotipada em relação ao outro. É ao acreditar, por exemplo, que determinados postos de trabalho só podem ser exercidos por homens, tornando essa percepção como base para desenvolver o processo de recrutamento e seleção, o que pode fazer com que a avaliadora desconsidere mulheres para o cargo. 

2. Como conquistar a diversidade 

Quando você admite e reflete sobre os vieses inconscientes, consegue evitá-los e gerar diversidade no ambiente da sua startup. Aparência física, classe social, localidade onde a pessoa candidata mora, cor da pele, gênero, sexualidade, religião ou qualquer outro fator de diferenciação são características que muitas vezes resultam em interpretações preconceituosas e acabam subtraindo as habilidades e os aspectos técnicos do profissional. 

Para  diversificar o quadro de colaboradores e gerar inclusão social é necessário  selecionar e recrutar os mais diferentes perfis de profissionais, possibilitando que sua empresa não apenas se destaque no mercado mas também que ela seja capaz de captar as mais diferentes ideias, as quais podem ser usadas objetivando seu crescimento. Por isso, considere incluir no seu time diversos profissionais de origens diferentes, orientações e cultura.

3. Monitore o processo de recrutamento

Procure saber como o recrutamento está sendo conduzido, perguntas como ‘Com quem seu filho fica quando ele fica doente? Seus filhos vão para escola em qual horário?’ demonstram comportamentos machistas. O ideal é evitar esse tipo de questionamento, como também interromper a mulher durante a conversa ou fazer comentários desagradáveis e/ou invasivos.

4. Respeito às diferenças 

Com os candidatos, logo no processo de seleção, você já precisa demonstrar quais os valores de sua startup. É importante que a empresa dê o exemplo da cultura da diversidade e assim dificilmente os colaboradores terão um comportamento diferente. 

5. Conduta legal

A Constituição Federal e a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), asseguram que o empregador não pode adotar práticas discriminatórias, seja para admissão do profissional, ou para manutenção do emprego.

(*) HOMEWORK inspira profissionais e empreendedores a trabalhar de um jeito mais inteligente, saudável, transformador. Nosso conteúdo impacta mais de 1 milhão de usuários únicos, todo mês. É publicado no Terra e compartilhado via redes sociais, WhatsApp e newsletter. Entre pra comunidade HOMEWORK!

Homework Homework
Publicidade
Publicidade