PUBLICIDADE

"Bull" é cancelada na 6ª temporada

19 jan 2022 01h24
| atualizado às 01h33
ver comentários
Publicidade
Foto: Divulgação/CBS / Pipoca Moderna

A rede CBS vai finalmente tirar "Bull" do ar. O drama legal terminará em sua 6ª temporada, que está atualmente em exibição nos EUA.

O cancelamento foi adiantado pelo astro Michael Weatherly, que tuitou na terça-feira (18/1) que "foi um privilégio interpretar o Dr. Jason Bull, mas depois de 6 temporadas de histórias incríveis, é hora de buscar novos desafios criativos e encerrar sua história".

Teria sido a decisão do ator de não renovar seu contrato que levou ao cancelamento da atração, segundo apurou o site The Hollywood Reporter.

O fato de Weatherly decidir o destino do programa é… sem comentários.

Muitos esperavam que "Bull" fosse acabar há três anos, quando a CBS precisou pagar US$ 9,5 milhões à atriz Eliza Dushku como indenização por assédio praticado por Weatherly, e por ter sido dispensada após denunciar o incômodo à produção.

Weatherly disse que fez apenas piadas, não sofreu punição e emitiu um comunicado dizendo que não tinha culpa pela demissão da atriz.

"Mais de 10 milhões de pessoas veem 'Bull' toda semana. Michael é adorado pelo nosso público e, mesmo depois dessas denúncias, todo mundo continua assistindo. Então, é uma atração popular que queremos manter no ar", disse sem rodeios o presidente da emissora, Kelly Kahl, em 2019. Ela ainda está à frente da empresa.

Dois anos depois, os bastidores da série voltaram a render escândalo. Denúncias dos roteiristas contra abusos morais e a transformação do ambiente de trabalho num local tóxico levaram a CBS a demitir o produtor Glenn Gordon Caron, showrunner da série, em 2021.

O caso não é isolado. A quantidade de denúncias de abuso moral nas séries da CBS é anormal. Nos últimos anos, atores de "NCIS: New Orleans", "SEAL Team", "Hawaii Five-0", "Magnum" e "MacGyver" denunciaram produtores poderosos que foram demitidos. Em compensação, a maioria dessas séries foi cancelada logo em seguida.

Por outro lado, os astros das produções permanecem intocados. A mesma impunidade dada a Michael Weatherly se estendeu a outro ator famoso de série da CBS. Uma denúncia de Pauley Perrette contra Mark Harmon, por agressão nas gravações de "NCIS", não deu em nada, considerando a permanência do ator até a 19ª temporada, atualmente em exibição.

Vale lembrar que a CBS é a mesma rede que teve seu presidente Les Moonves envolvido em várias denúncias de assédio e abuso sexual, trazidas à tona em reportagens da revista New Yorker por diversas mulheres, inclusive funcionárias da empresa.

Moonves foi o executivo mais poderoso da TV tolhido pelo movimento #MeToo, que surgiu no final do ano passado, após a exposição dos casos de abuso praticados pelo produtor Harvey Weinstein ao longo de três décadas. Para evitar ser demitido do comando da empresa, ele pediu demissão em 2018, buscando realizar um acordo milionário para sua saída do cargo.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade