2 eventos ao vivo

'Passione' retoma o fôlego com cenas de suspense

1 nov 2010
08h18
Mariana Trigo

Silvio de Abreu parece cada vez mais se inspirar em obras de suspense. Cada cena escrita ou revisada pelo autor de Passione mostra um astuto cuidado do autor paulistano em tentar manter um constante clima de mistério na trama das oito. Após o assassinato de Saulo, de Werner Schunemann, e a revelação de que Eugênio, de Mauro Mendonça, também havia sido morto no início da história, Silvio parece estar cada dia mais sedento por cenas de tirar o fôlego. Sem lançar mão de mirabolantes sequências de ação, com perseguições e explosões, Silvio destila e concentra toda sua acidez num texto conciso e instigante para uma trama que começou insossa, com uma profusão de personagens tentando se comunicar em um italiano muito pouco inteligível.

Depois de maturada em mais de 100 capítulos, a história, já aquecida, começou a mostrar sinais de que poderia seduzir o público. Assim como aconteceu há 15 anos, em Torre de Babel, que introduziu o gênero policial nas novelas e exibiu 10 assassinatos ao longo da história, Silvio tem conseguido manter a expectativa sobre o responsável pelos crimes e a volta do questionamento "quem matou?".

Com isso, a audiência, que começou com parcos 36 pontos de média, passou a ter um crescimento gradativo até se estabilizar com os atuais 39 de média. O que acompanhou essa suave variação foram as densas interpretações de parte do elenco, como o cada vez mais convincente Totó. No papel do italiano rústico, Tony Ramos deixou de lado o exagerado gestual para encontrar o tom correto do personagem. O ator mostra, com sensibilidade, seu papel dividido pelo que ainda sente pela ex-golpista Clara, de Mariana Ximenes, e por Felícia, de Larissa Maciel, que finalmente conseguiu se livrar dos trejeitos e olhares oblíquos de Maysa.

Na contramão das cenas investigativas e tensionais, a história tem seu respiro nas tomadas do núcleo cômico. Principalmente nos impagáveis embates cênicos entre Jéssica e Agostina, de Gabriela Duarte e Leandra Leal, respectivamente. Neste momento em que a trama está no topo da montanha russa, prestes a descer desenfreada numa velocidade alucinante para revelar o responsável pelos crimes e os desfechos de todos os núcleos, o duelo das atrizes chama a atenção e destaca Gabriela em seu melhor momento cênico na TV desde sua insossa estreia em Top Model, há mais de 20 anos. Prova que nem todas as revelações mais interessantes da história das oito passam pelo mistério dos assassinatos.

Totó (Tony Ramos) e Felícia (Larissa Maciel) em cena mais quente de 'Passione'
Totó (Tony Ramos) e Felícia (Larissa Maciel) em cena mais quente de 'Passione'
Foto: TV Globo / Divulgação
Fonte: TV Press
publicidade