2 eventos ao vivo

Religioso, Toffoli dá lição ao liberar Jesus gay da Netflix

Derrubada da censura contra sátira do Porta dos Fundos fortalece liberdade dos humoristas em geral

10 jan 2020
12h00
  • separator
  • 0
  • comentários

Em fevereiro de 2019, na estreia do programa Em Foco da jornalista Andréia Sadi, na GloboNews, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, admitiu se pautar pela fé e até mostrou uma miniatura de terço católico que sempre carrega no bolso. Essa revelação diante das câmeras, evidenciou a religiosidade do homem que ocupa a cadeira mais poderosa do Judiciário brasileiro.

Fábio Porchat e Gregório Duvivier em material de divulgação do polêmico especial 'A Primeira Tentação de Cristo'
Fábio Porchat e Gregório Duvivier em material de divulgação do polêmico especial 'A Primeira Tentação de Cristo'
Foto: Divulgação

Foi esse mesmo devoto de Nossa Senhora de Fátima que suspendeu a censura ao especial de Natal 'A Primeira Tentação de Cristo', da produtora Porta dos Fundos. A retirada do vídeo havia sido determinada por um juiz do Rio de Janeiro, atendendo ao pedido de uma associação católica — ou seja, de praticantes da mesma religião de Toffoli.

"Não se descuida da relevância do respeito à fé cristã (assim como de todas as demais crenças religiosas ou a ausência dela). Não é de se supor, contudo, que uma sátira humorística tenha o condão de abalar valores da fé cristã, cuja existência retrocede há mais de 2 (dois) mil anos, estando insculpida na crença da maioria dos cidadãos brasileiros", escreveu o ministro em seu despacho.

Por conta do respeito e culto que tem pela imagem de Cristo, Dias Toffoli provavelmente seja contra a insinuação de que o filho de Deus teria tido uma experiência homossexual, como sugere a produção do Porta dos Fundos, disponível na plataforma de streaming Netflix desde 3 de dezembro. Mas, como guardião máximo da lei, ele passou por cima da fé pessoal para garantir a liberdade de expressão, um valor constitucional inegociável assim como a liberdade de crença religiosa.

No saldo final, esse episódio fez bem aos humoristas. A todos, não apenas aos do Porta dos Fundos. A corte máxima do País, na figura de seu presidente, deu um recado importante a quem acha que a censura é opção no combate ao politicamente incorreto.

Toda pessoa ou grupo tem o direito de protestar contra eventuais excessos e supostos desrespeitos, desde que não recorra ao autoritarismo ao tentar impor a sua razão. Se essa moda pegasse, não sobraria quase nada da programação da TV, dos serviços de streaming e canais de YouTube. Há sempre alguém se sentindo ofendido por algum conteúdo. Bem-vindos à pluralidade do mundo.

Veja também: 

O que se sabe (e o que ainda é dúvida) sobre a decisão de Harry e Meghan

 

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade