0

Rússia espera animar torcedores da Copa do Mundo com colheres musicais

11 jun 2018
17h20
  • separator
  • 0
  • comentários

Esqueçam as vuvuzelas. O instrumento musical que irá comandar a Copa do Mundo deste ano é a colher russa.

Colheres russas escohidas como instrumento da Copa são vistas em Lyubertsy
 7/6/2018   REUTERS/Tatyana Makeyeva
Colheres russas escohidas como instrumento da Copa são vistas em Lyubertsy 7/6/2018 REUTERS/Tatyana Makeyeva
Foto: Reuters

Oito anos após sul-africanos usarem as cornetas de plástico quando sediaram a competição, russos esperam que torcedores da Copa que irá sediar, que começa na quinta-feira, celebrem com as "lozhkas" - colheres que marcam um ritmo insistente, porém mais silencioso.

Músicos populares usando o tradicional instrumento - duas colheres de madeira colocadas costas-com-costas e atingidas por uma terceira - já se tornaram uma característica das recepções oficiais.

Torcedores menos habilidosos poderão comprar um par adaptado de plástico, preso na extremidade para um clique mais fácil.

    O designer Rustam Nugmanov recebeu apoio do governo para produzir uma linha de coloridas e patenteadas "Colheres da Vitória", que foram reconhecidas como o instrumento oficial da competição.

    "Quando nós estávamos escolhendo um instrumento que é tipicamente russo e que reflete valores culturais russos, nós tínhamos três escolhas: o treshchotka (que imita barulhos de palmas), um chocalho e uma lozhka", disse.

    Eles queriam instrumentos que pudessem marcar um ritmo, mas sem dominarem totalmente os eventos como as vuvuzelas fizeram. Eles também queriam evitar os incessantes barulhos produzidos pela "caxirola" brasileira na Copa de 2014.

    "Estes sons (da caxirola) parecem com de uma colmeia e é um instrumento muito alto e também não permite que você marque um ritmo", disse Nugmanov. "Nós escolhemos colheres".

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade