0

YouTube decide remover vídeos com discursos de ódio da plataforma

É fato que nós estamos vivendo um momento bastante delicado na história da humanidade, né? Pessoas com discursos preconceituosos estão ganhando bastante visibilidade e algumas até se tornaram presidente (risos). Para tentar combater essas ideias antiquadas, o YouTube decidiu remover vídeos com discurso de ódio da plataforma.

6 jun 2019
15h41
  • separator
  • comentários

O YouTube decidiu remover vídeos que possuem discursos de ódio e a nova medida tem dividido opiniões. A ideia da plataforma é tirar do ar milhares de vídeos e canais que promovem discursos de ódio, incluindo conteúdos de supremacistas brancos e revisionismos históricos. Sabe aquela galera que gosta de dizer que a Terra plana ou que o Holocausto não aconteceu? Então... De acordo com as informações do Washington Post, o YouTube já estava recebendo muitas críticas sobre o fato de não tomar uma medida para conter esse tipo de conteúdo.

Apesar de muitas pessoas acreditarem que essa é a decisão mais coerente, existe uma galera que está condenando o YouTube por conta disso. Esses críticos alegam que essa medida limita a liberdade de expressão. Muita gente acredita que tem o direito de dizer tudo o que pensa e realmente há verdade disso. No entanto, não podemos esquecer que, além de algumas opiniões ofenderem, elas ainda afetam a existência de outras pessoas. Como alguém vai dizer que ser LGBT é algo errado e ficar por isso mesmo? A situação fica ainda mais delicada quando essa pessoa tem um canal com mais de 1 milhão de inscritos e possui um forte poder de influência. Não dá, né?

De qualquer forma, o YouTube já declarou que tem o direito de mudar suas políticas internas de conteúdo a hora que quiser. Quem também adotou uma medida semelhante foi o Facebook, que excluiu todas publicações referentes a movimentos de supremacia branca. O Twitter está planejando fazer o mesmo, mas ainda não há data para colocar nenhuma medida em prática. Será que desse jeito a internet se tornará um lugar menos tóxico?

PureBreak

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade