0

"Homem-Aranha: No Aranhaverso" é o filme que todo fã se super-herói pediu!

O filme "Homem-Aranha: No Aranhaverso" estreia no dia 10 de janeiro e você deve estar se perguntando: "pra quê mais um filme do Homem-Aranha?". Bom, é verdade que existem muitas produções envolvendo o super-herói, mas essa era animação que a gente precisava. Mesmo já havendo muitas histórias sobre o personagem, a Sony conseguiu fazer um ótimo trabalho.

31 dez 2018
12h35
  • separator
  • 0
  • comentários

"Homem-Aranha: no Aranhaverso" é a mais nova tentativa da Sony de emplacar um novo filme de herói do universo do amigo da vizinhança. Desde os dois primeiros filmes com Tobey Maguire, o estúdio errou feio num terceiro e não conseguiu decolar com a versão do aracnídeo de Andrew Garfield. Em 2018, houve mais uma tentativa com Venom, que mesmo que tenha ido surpreendentemente bem nas bilheterias, como obra cinematográfica é no mínimo problemático - Para não falar outra coisa. Mas a carta na manga era e sempre foi o Aranhaverso, tanto que usaram o longa do simbionte para mostrar o trailer da nova animação.

"Homem-Aranha: no Aranhaverso" é o filme de super-herói que a gente pediu
"Homem-Aranha: no Aranhaverso" é o filme de super-herói que a gente pediu
Foto: Reprodução / PureBreak


A primeira grande e maravilhosa mudança é colocar o Miles Morales como protagonista. Além de toda a importância da representatividade de ter um negro vestindo a máscara de um dos heróis mais icônicos e amado pelos fãs, também é um respiro para o próprio estúdio, porque contar novamente a história do Parker pela milionésima vez é algo bem cansativo e não traria nenhuma novidade em relação ao que está sendo construído pelo aranha do Tom Holland no MCU. Mas não se engane, nessa história temos muito de Peter Parker, mesmo que ele não seja o foco.

Aranhaverso tem o grande mérito de explorar o confuso conceito de universos paralelos de um jeito simples e objetivo, fazendo com que até mesmo uma pessoa que não tem o hábito de ler quadrinhos da Marvel ou da DC entenderia.

O roteiro, assim como muitos outros filmes do gênero, usa a estrutura do monomito, só que nesse caso ela tem um elemento de destaque que é o Peter passando o bastão para o Miles. O filme adota uma estrutura visual simulando os quadrinhos o tempo todo, desde o grid até as cenas de ação com muitas cores e contrastes, fazendo com que estivéssemos lendo uma grande HQ. Além de ser um atrativo a mais, também acaba trazendo um dinamismo especial que combina perfeitamente com a proposta do filme e com a forma que a história é desenvolvida

A direção e o roteiro foi extremamente inteligente ao introduzir Miles Morales com o conceito do Aranhaverso, porque isso permitiu apresentar mais personagens importantes deixando um gostinho de quero mais para futuros filmes abordando as outras realidades paralelas, desenvolvendo assim os outros aranhas. Agora a Sony já tem a faca e o queijo na mão para finalmente lançar seu próprio universo estendido, de uma forma diferente e tão engenhosa quanto ao conceito do MCU.

Todos os heróis apresentados possuem personalidades distintas, mas o senso de responsabilidade como Homem-Aranha estão intrínsecos em todos, porque todos passaram por dramas parecidos. Por fim, como já era esperado, Stan Lee fez sua participação, porém com uma carga emocional muito maior por motivos óbvios.

Este talvez seja o filme do cabeça de teia que todo fã sonhou em ver nas telonas. Piadas muito bem sacadas, atuais e com o melhor timing possível. Tudo funciona de maneira muito orgânica dentro da proposta inicial. Agora é torcer que esse universo deslanche e traga mais obras com no mínimo a mesma qualidade.

"Homem-Aranha: no Aranhaverso" estreia dia 10 de janeiro de 2019 em todos os cinemas do Brasil.

PureBreak
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade