0

Whitney teria desejado que sua música continuasse, diz produtor

12 fev 2012
20h12
atualizado às 20h59

A festa pré-Grammy do produtor musical Clive Davis, tradicionalmente um dos destaques da semana da principal premiação da indústria musical, se transformou neste ano num tributo para a cantora Whitney Houston, que morreu neste sábado (11). No evento, no sábado à noite, as pessoas estavam chocadas com a notícia da morte de Houston, uma das maiores estrelas da música de todos os tempos. "De maneira bem direta, Whitney teria desejado que sua música continuasse, e a família dela pediu para seguirmos", afirmou Davis, que descobriu Whitney, durante a abertura do jantar de gala.

As apresentações e os tributos de artistas como o rapper Sean Combs, a veterana banda britânica The Kinks, Wiz Khalifa e Alicia Keys melhoraram o ambiente pesado. "Whitney Houston tinha a maior voz do mundo. Ela era um presente de Deus", afirmou Combs. O cantor veterano Tony Bennett lembrou as trágicas mortes de Michael Jackson e Amy Winehouse, que, como Houston, sofreram com o abuso de drogas. Bennett defendeu a legalizção de algumas drogas, para que os usuários pudessem ter um melhor acompanhamento médico.

Neste domingo (12), na igreja em Nova Jersey onde a cantora começou sua carreira, fãs e admiradores se juntavam para celebrar a vida de Whitney e lamentar sua morte, um dia após a morte da diva pop em um hotel em Beverly Hills. Cartões e flores foram levados à Igreja Batista Nova Esperança, e as pessoas presentes se abraçavam e choravam na entrada. Entre aqueles que foram ao local estava o reverendo Jesse Jackson, um ativista de direitos civis.

Entenda o caso
Nesse sábado (11), Whitney Houstoun foi encontrada inconsciente na banheira de sua suíte no Beverly Hilton Hotel antes das 15h30 (horário de Los Angeles - 21h30 de Brasília), momento no qual os serviços de emergência foram alertados. Apesar da rápida resposta dos paramédicos, que tentaram reanimá-la durante cerca de 20 minutos, Whitney foi oficialmente declarada morta às 15h55.

O corpo de Whitney foi identificado por seus familiares por volta da meia noite (horário de Brasília). De acordo com o TMZ, nenhuma droga ilegal foi encontrada no quarto. Porém, policiais acharam frascos de medicamentos controlados.

A última aparição pública da diva pop foi na quinta-feira (9), em uma festa do Grammy em Hollywood. Whitney aparentava estar alcoolizada quando deixou o local com ajuda de uma pessoa.

O corpo já foi retirado do hotel em Los Angeles e encaminhado para a autópsia.

Da fama aos problemas com drogas: veja trajetória de Whitney
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

publicidade