0

Você sabe qual é o significado das cores do reggae? Descubra aqui!

14 mai 2019
13h55
atualizado em 29/5/2019 às 09h47
  • separator
  • 0
  • comentários

Surgido na Jamaica, no final da década de 1960, o reggae é um dos tipos de música mais populares no mundo. Como diriam os caras do Skank, "é improvável, é impossível" não nos rendermos às boas vibrações que emanam das batidas quase sedutoras e das mensagens de conscientização, amor e positivismo.

Apesar da musicalidade ímpar, não podemos negar que as cores regueiras por si só iconizam o estilo. Mas você já parou pra pensam em qual é o significado de cada cor? Quais são suas origens? Neste post, você irá descobrir as respostas para essas perguntas e muito mais sobre o universo regueiro!

Continue com a gente, sempre na base das goods vibes, e que Jah ilumine sua leitura!

Significado das cores do reggae

Como o reggae sempre foi muito forte na Jamaica, é comum pensar que as cores do regueiras (verde, amarela e vermelha) vieram da bandeira jamaicana. Apesar da forte ligação, inclusive por ser a terra natal de Bob Marley, o maior ícone regueiro, o símbolo-mor da pátria dos jamaicanos não é o grande responsável pela inspiração das cores do estilo.

Na realidade, as cores associadas ao estilo de música têm como origem as cores do estandarte da Etiópia, país em que Hailé Selassié, nascido Tafari Makonnen e posteriormente conhecido como Ras Tafari, foi imperador. Também conhecidas como "bandeira Rastafári", a bandeira do reggae é carregada de simbolismo. De acordo com o site Reggae Total, "as cores representativas tem valores tanto materiais (físicos) quanto metafísicos (ou espirituais)".

Por convenção, o ideal é se basear na sequência da bandeira da Etiópia: vermelho, amarelo e verde. Mas com o avanço natural do tempo e dos modos de pensar, a sequência passou por algumas variações. Nas bandeiras relacionadas ao reggae, por exemplo, é comum usa-se as cores na ordem verde, amarelo e vermelho.

Abaixo, você confere um esqueminha para entender melhor cada significado:

Cor Valor físico/material  Valor metafísico/espiritual
Vermelha O sangue que os mártires deram pelo próximo. Fé, no sentido de persistência rumo a um objetivo. Poder, no sentido de capacidade de realização de metas, de transformar sonhos em realidades.
Verde Os campos férteis, fonte de prosperidade, e a natureza em geral da África Esperança, pois esta cor está ligada, nas tradições esotéricas mais antigas, aos fenômenos de renovação.
Amarela Riqueza natural (ouro e minerais), como fonte de prosperidade. Espiritualidade e amor, como elementos sociais de união entre os povos.

Estilos básicos de reggae

Apesar de ter como principais matrizes sonoras o ska (surgiu por volta do final dos anos 50) e o rocksteady (apareceu em meados dos anos 60), o reggae tem como principais referências outros três pilares: música tradicional africana, sons caribenhos, e o rhythm and blues americano. Como as correntes regueiras são muitas, listamos aqui as quatro mais difundidas. Lembrando que não há vertente mais importante em relação à outra.

Como todo gênero musical importante, o reggae possui variações e dialogou com outros tipos de música. Pensando em tal condição, nós listamos aqui quatro tipos de reggae para que você possa ampliar seu conhecimento e saber identificar o som de seus artistas regueiros favoritos.

1. Reggae Roots

É o estilo de reggae mais influente e conhecido ao redor do mundo. Os termos "reggae" e "reggae roots" se tornassem sinônimos em várias partes do planeta. Entre seus precursores está a trinca Bob Marley, Peter Tosh e Burning Spear.

No geral, o reggae roots é uma arte de resistência. As músicas abordam questões sociais, espirituais [com destaque para os ensinamentos pregados pelo movimento Rastafári], opressão racial, entre outros assuntos que colocam o dedo na ferida da parte hipócrita da sociedade.

2. Dancehall

No final dos anos 70, uma agitação política tomou conta da Jamaica. O governo de esquerda deu lugar ao governo de direita e desencadeou uma série de reflexos culturais no país. Como não poderia ser diferente, a música sentiu o eco dos rumos políticos jamaicanos. Desta forma, o perfil denso, filosófico, contestador e espiritual das letras de reggae roots perderam um pouco da força e deram lugar às músicas sobre sexo, hedonismo, festas e diversão. Nesse contexto de mudanças de rumos, surgiu o dancehall.

Apesar das semelhanças sonoras com o reggae, o dancehall aposta em uma batida mais acelerada e não economiza no uso de instrumentos eletrônicos. O estilo vocal predominante nesse subgênero do reggae é o "toasting", que é semelhante ao ato de fazer um rap. Os astros Yellowman, Barrington Levy e Eek-A-Mouse são os grandes ícones desse estilo.

3. Dub

No início, o dub era uma forma de remixar músicas de reggae. A ideia consistia limar boa parte dos vocais e privilegiar baixo e bateria e guitarra. Outra característica marcante é o uso de efeitos sonoros como tiros, sons de animais, sirenes, entre outros.

Nesse estilo, ao invés do artista ganhar os holofotes, a grande estrela é o engenheiro de áudio ou o produtor musical. King Tubby, Mad Professor e Lee "Scratch" Perry estão entre os principais nomes do dub. Curiosidades:

  • Dub foi base para todos os estilos de música eletrônica
  • quando jamaicanos migraram para o EUA, as batidas de dub ajudaram a formar o rap
  • Paralamas, O Rappa, Cidade Negra e Chico Science & Nação Zumbi já lançaram trabalhos de dub

4. Lovers Rock

O estilo de reggae lovers rock surgiu em meados da década de 1970, na Grã Bretanha. Seu aspecto musical combina a clássica batida do reggae com as técnicas vocais usadas na música soul norte-americana. Por suas vezes, as letras fazem um completo contraponto ao reggae militante e aposta em questões sobe relacionamentos, conquistas e romances.

Apesar de ser apolítico, o lovers rock caiu nas graças de muitos artistas de reggae roots. Nomes como Gregory Isaacs e Horace Andy, por exemplo, já gravaram álbuns com menos protestos e mais romantismo.

Segundo o site Canal Reggae, o estilo sempre foi muito bem recebido pelo público feminino. "Muitas mulheres se destacam no estilo, como Janet Kay, que conseguiu chegar ao mainstream com a música Silly Games (1979). Destaque também para o trio Brown Sugar, que gravou sua primeira faixa quando ainda estava na escola".

Dia nacional do Reggae

Em maio de 2012, a então presidenta Dilma Rousseff reconheceu a importância do reggae e decidiu criar, no Brasil, uma data em homenagem ao tipo de música difundido mundialmente por Bob Marley. De acordo com a Lei 12.630, a data de 11 de maio é o Dia Nacional do Reggae.

O decreto também foi assinado por Anna Maria Buarque de Hollanda, até então ministra da Cultura e por Luiza Helena de Bairros, até então secretária de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. O projeto data de 2008 e foi criado pelo ex-deputado federal Rodrigo Rollemberg (PSB-DF).

A escolha da data não foi feita aleatoriamente. No já distante 11 de maio de 1981, Bob Marley morreu em um hospital em Miami, nos Estados Unidos. Ele não resistiu às complicações degenerativas do câncer e faleceu aos 36 anos. Seu corpo, junto de sua guitarra favorita, uma Fender Stratocaster vermelha, foi sepultado em uma capela perto de sua cidade natal.

Bom, já que você chegou até aqui, que tal aprender clássicos do reggae com a galera do Cifra Club? Abaixo, você confere a videoaula para um clássico do incomparável Marley:

Cifra Club
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade