2 eventos ao vivo

Assinaturas pagas de plataformas digitais crescem nos EUA durante a pandemia. Rock e Reggae estão em alta.  

7 ago 2020
09h36
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

As empresas especializadas no mercado musical, Nielsen Music e a MRC Data desenvolveram uma pesquisa para entender como está o comportamento do consumidor de música por streaming durante a atual pandemia do coronavírus.

Foto: Getty Images / The Music Journal

Intitulada COVID-19: Tracking the Impact on The Entertainment Landscape, a pesquisa observou um interesse cada vez maior das pessoas em música, com a maior porcentagem de participantes do programa afirmando que aderiram a um serviço de assinatura de streaming.

Mesmo com um grande anseio das pessoas e dos profissionais de entretenimento em retornarem à rotina dos shows ao vivo, o interesse por shows por lives atingiu seu nível mais alto desde o inicio da pandemia.

Para esta pesquisa da Nielsen Music e a MRC Data foram entrevistados 1.007 consumidores norte-americanos maiores de 13 anos. Os dados foram coletados entre os dias 8 e 13 de julho. 56% deles passaram a assinar serviços de streaming do Spotify ou Apple Music - o percentual mais alto desde o inicio da pandemia em março.

Outro ponto importante da pesquisa é que foi observado que os gêneros reggae e rock estão em ascensão.

O reggae teve um crescimento nos serviços de streaming em 18,3% durante a atual pandemia. Isso indica que os consumidores americanos estão buscando este gênero pelas canções que falam sobre positivismo e esperança, ainda que, tenham uma característica de interesse sazonal - como o verão - e as pessoas ainda não possam desfrutar da estação, pela redução das atividades ao ar livre.

Outro gênero que também chamou bastante a atenção dos pesquisadores neste programa é o rock, que teve um aumento em seu interesse de 1,5%.

O provável motivo: as gravadoras se empenharam em aumentar o seu catálogo e a procura tem sido grande por parte dos consumidores.

Veja também:

Dua Lipa desabafa sobre ansiedade causada pelas redes
The Music Journal The Music Journal Brazil
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade