0

Meryl classifica suposto assédio sexual como 'indesculpável'

9 out 2017
14h50
atualizado às 19h53
  • separator
  • 0
  • comentários

Meryl Streep, a atriz mais admirada da indústria do entretenimento, criticou nesta segunda-feira (9) o produtor de cinema Harvey Weinstein por seu "comportamento indesculpável", mas disse não estar ciente de nenhum rumor sobre seu suposto assédio sexual a mulheres.

Meryl Streep durante evento em Los Angeles
 08/06/2017    REUTERS/Mario Anzuoni
Meryl Streep durante evento em Los Angeles 08/06/2017 REUTERS/Mario Anzuoni
Foto: Reuters

Streep, que conquistou três Oscars, vinha sendo pressionada para se pronunciar desde que uma investigação da semana passada do jornal New York Times detalhou alegações de várias mulheres a respeito de contatos físicos indesejados e de assédio de Weinstein ao longo de três décadas.

Inicialmente Weinstein, de 65 anos, se desculpou, mas depois ameaçou ir à Justiça. No domingo ele foi demitido do cargo de co-presidente do conselho da Weinstein Co por causa da reação negativa à reportagem do NYT, mas não foi acusado de nenhum crime.

Meryl Streep, que em 2012 chamou Weinstein de "Deus" durante um discurso de agradecimento no Globo de Ouro e que atuou em diversos filmes produzidos por ele, disse que "a notícia deplorável sobre Harvey Weinstein chocou aqueles de nós cujo trabalho ele promoveu".

Mas a atriz disse em um comunicado enviado ao Huffington Post que não tem conhecimento das supostas alegações de que ele se despiu diante de atrizes e assistentes ou de que pediu a mulheres jovens que o massageassem.

"Harvey apoiava o trabalho intensamente, era exasperante mas respeitoso comigo em nossa relação de trabalho e com muitas outras pessoas com quem trabalhou profissionalmente", disse a atriz.

"Eu não sabia que ele tinha reuniões particulares em seu quarto de hotel, seu banheiro ou de outros atos impróprios e coercitivos".

As atrizes Ashley Judd e Rose McGowan são algumas das que disseram que Weinstein as assediou sexualmente. Outros pesos pesados de Hollywood, como o diretor Judd Apatow e a produtora Megan Ellison, falaram a favor das mulheres.

Redes sociais denunciam casos de violência sexual
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade